Michel Euler/AP
Michel Euler/AP

Rashford decide de novo e United surpreende o PSG na estreia na Liga dos Campeões

Neymar não evita derrota no primeiro jogo; jogadores da equipe francesa reclamam da arbitragem

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2020 | 18h25

Vice da Liga dos Campeões na temporada passada, o Paris Saint-Germain abriu a nova edição da competição sendo surpreendido pelo Manchester United, na França. Neymar pouco fez, Rashford decidiu no fim, como já fizera em 2019, e os ingleses festejaram muito o triunfo por 2 a 1.

O PSG reclamou muito da arbitragem, que teria anotado um pênalti inexistente aos ingleses e ignorado dois para os franceses. Neymar chegou a levar cartão amarelo por reclamação no lance de possível empurrão em Mbappé, na área. Mas o placar acabou sendo justo por causa da coragem dos visitantes em jamais abdicar da busca pela vitória. Já a equipe francesa ficou devendo futebol.

Foi um dia de estreia para o brasileiro Alex Telles no Manchester United. Mas os olhares estavam todos para as duplas de ataque formadas por Neymar e Mbappé de um lado e Rashford e Martial do outro.

A promessa era de muitas chances de gols. Mas se o United tinha Bruno Fernandes na criação, o PSG sentiu muito a falta de Verrati no meio-campo. Sem criatividade na armação, a bola quase não chegou aos atacantes no primeiro tempo.

Bem marcados, Neymar e Mbappé não foram bem na etapa inicial e ainda viram os visitantes abrirem o marcador, após pênalti questionável de Diallo em Martial. Bruno Fernandes cobrou e Navas pegou. O árbitro mandou voltar e desta vez a cobrança foi precisa: 1 a 0

No começo do segundo tempo, Martial "achou" que fosse companheiro de Neymar e jogou contra. O brasileiro cobrou o escanteio e o atacante rival mandou de cabeça contra as próprias redes. O empate sugeriu crescimento do PSG em busca da virada.

Mas não foi o que ocorreu. Depois de a arbitragem ignorar dois pênaltis aos franceses, o United cresceu. Navas evitou o segundo gol dos ingleses com bela defesa dos 24 minutos. Rashford chutou forte e o goleiro desviou para escanteio.

No fim, porém, num déjà-vu de 2019, mais uma vez Rashford foi decisivo. Naquele jogo das oitavas de final, ele fez de pênalti aos 49, e classificou o time numa improvável virada por 3 a 1. Desta vez, o atacante bateu cruzado, aos 41 do segundo, para garantiu a vitória inglesa por 2 a 1. A bola bateu na trave e entrou.

Mas a liderança do Grupo H é do RB Leipzig, em função do saldo de gols. Com gols de Angelino, os alemães fizeram 2 a 0 no Istambul Basaksehir.

Festa alemã de um lado, tristeza do outro. Apontado entre os favoritos na Liga dos Campeões, o Borussia Dortmund foi até a Itália e apanhou da Lazio, por 3 a 1. Assim, é o último do Grupo F. No outro jogo da chave, o Brugge fez 2 a 1 no Zenit, na Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.