Peter Powell/AFP
Peter Powell/AFP

Rashford recebe honraria de universidade inglesa por luta contra a fome infantil no país

Atacante do Manchester United ganha título de doutor honorário depois de carta com pedido para governo criar fundo escolar e manter merenda

Redação, Estadão Conteúdo

15 de julho de 2020 | 11h24

A luta contra a fome infantil renderá uma honraria importante ao atacante Marcus Rashford, do Manchester United. O jogador, de 22 anos, se tornará a pessoa mais jovem a receber um doutorado honorário da Universidade de Manchester, na Inglaterra, depois que longa e emocionante carta escrita por ele e divulgada em junho que fez com que o governo criasse um "fundo escolar" para fornecer alimentação a crianças de famílias carentes durante as férias no país.

Rashford liderou uma campanha bem sucedida que fez com que o governo permitisse que cerca de 1,3 milhão de crianças tivessem acesso a vales-refeições grátis. Os recursos, anunciados pelo primeiro-ministro Boris Johnson, são de 120 milhões de libras (cerca de R$ 773 milhões).

"Isso não é sobre política. Isso é sobre humanidade. Olhando a nós mesmos no espelho e sentindo que fizemos tudo o que pudemos para proteger aqueles que não podem por qualquer razão ou circunstância. Filiações políticas à parte, não podemos todos concordar que nenhuma criança deveria ir dormir com fome? O governo adotou uma abordagem do que for necessário para a economia - hoje estou pedindo a vocês que estendam esse mesmo pensamento para proteger todas as crianças vulneráveis em toda a Inglaterra", escreveu Rashford em sua carta.

A distinção é a maior honra que a universidade pode conceder a um cidadão. Lendas do Manchester United, Sir Alex Ferguson e Sir Bobby Charlton já haviam recebido o prêmio da Universidade. "Um dia de orgulho para mim e minha família. Ainda temos um longo caminho a percorrer na luta para combater a pobreza infantil neste país, mas receber reconhecimento de sua cidade significa que estamos caminhando na direção certa e isso significa muito", afirmou Rashford, em declarações à TV inglesa BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.