Real frustra ida de Fabri ao Palmeiras

A tentativa do Palmeiras de contratar o meia Rodrigo Fabri por empréstimo até o final do ano ficou complicada. Nesta quarta-feira, dirigentes do Real Madrid, dono dos direitos federativos do jogador, anunciaram que não irão pagar seu salário de U$ 100 mil mensais (aproximadamente R$ 300 mil), conforme desejava o presidente Mustafá Contursi.Segundo Fernando César, procurador de Rodrigo que está na Espanha, o Real pretende emprestá-lo ou mesmo vendê-lo para algum clube da Europa. "O Rodrigo foi artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2002 (junto com Luís Fabiano, do São Paulo) e chamou a atenção de grandes clubes do mundo. Por isso, o clube espera fazer dinheiro em cima dele. A proposta que o Palmeiras nos fez é boa, mas só será levada em consideração se não aparecer nada melhor financeiramente."De acordo com César, nesta quinta-feira deverá haver uma nova rodada de negociações. "Atlético de Madrid, Siena e até o Betis mostraram interesse pelo Rodrigo. Por ser um jogador comunitário, tem o mercado aberto na Europa. Por mais que o Palmeiras se esforce, dificilmente terá condições de pagar a ele o que recebe atualmente."Mustafá Contursi esperava que o Real bancasse pelo menos parte do salário do jogador. Admitia desembolsar no máximo R$ 80 mil para completar seu salário. Para piorar, nesta quarta-feira o presidente recebeu a notícia de que o atacante Aloísio, que pertence ao Paris Saint Germain, recusou a proposta do Palmeiras para disputar a Série B do Brasileiro. "Quero resolver o meu futuro até sexta-feira, mas ficarei na Europa por mais dois anos. Só voltarei ao Brasil para encerrar minha carreira", disse Aloísio.Diante das dificuldades para se trazer Róbson, do Paysandu, o nome de Somália, que está jogando no futebol do Kuwait, foi citado pelo técnico Jair Picerni para ser o atacante de estatura elevada que tanto deseja. "Pelo jeito vou ficar com este elenco que tenho nas mãos até o final do ano", disse um desconsolado Picerni nesta quarta-feira à tarde na Academia de Futebol.O time que enfrenta a Anapolina sábado à noite em Anápolis deve ser o mesmo que iniciou o jogo contra o Joinville semana passada. Assim, o zagueiro Leonardo, recuperado de contusão na panturrilha, e o meia Pedrinho, que tinha esperança de começar jogando, ficarão como opções de banco. "Quero que todos sempre estejam prontos para entrar em campo, mas na minha cabeça é claro que tenho os titulares. No entanto, vai jogar quem estiver melhor", disse Picerni.Espetáculo - O treinador também deixou claro que dificilmente a torcida verá um belo espetáculo do Palmeiras na Série B. "Nesta competição todos os jogos são amarrados. A bola fica muito tempo fora de campo. Se tivermos condições, até daremos espetáculo. Mas acredito que só teremos jogos disputados com técnica na fase final."O treinador, no entanto, mostra-se satisfeito com os números apresentados pela equipe até o momento. "Temos um ataque muito positivo e uma defesa segura. No começo do campeonato, alguns jogadores estavam com dificuldades para entender o que é a segunda divisão. Mas agora essa fase já passou e os resultados estão aparecendo."

Agencia Estado,

09 de julho de 2003 | 19h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.