Gabriel Bouys/AFP
Gabriel Bouys/AFP

Real iniciará modernização do Bernabéu no fim da temporada; obra custará R$ 1,73 bilhão

Estádio, inaugurado há 72 anos, terá teto retrátil e renovação da fachada

Redação, Estadão Conteúdo

02 de abril de 2019 | 14h22

O Real Madrid anunciou nesta terça-feira que as obras de modernização do Santiago Bernabéu começarão ao fim da temporada 2018/2019. O estádio, inaugurado há 72 anos, terá teto retrátil, além da renovação da fachada para ganhar nova aparência.

Além disso, o modificado Bernabéu terá um telão 360º e um novo setor nas arquibancadas. Mas a capacidade será mantida em 80 mil pessoas. "Será o grande estádio do futuro, o melhor do mundo", disse o presidente do clube, Florentino Pérez. "Nosso futuro passa pelo novo estádio, é isso o que marcará nosso destino".

A reconstrução do Bernabéu durará três ou quatro anos. O clube disse que o trabalho não afetará as partidas da equipe, já que a maioria das obras será realizada durante as férias do verão europeu.

O primeiro passo será a demolição de um centro comercial, que se converterá em uma praça pública ao lado do estádio, no bairro de Chamartín. As torres de acesso, uma das características mais notáveis do estádio, serão cobertas por uma nova fachada de aço quando os trabalhos forem concluídos.

"Este é um momento que devemos lembrar por causa de sua importância e que é o início definitivo da contagem regressiva para essa inovação arquitetônica que vai converter o Santiago Bernabéu em um ícone de vanguarda e universal", disse Perez. "Este é um dos grandes projetos para o futuro do Real Madrid e também para a cidade".

O Real tentou reformar seu estádio várias vezes, mas os projetos anteriores foram rejeitados pela prefeitura de Madri e pela Justiça. As autoridades não permitiam que o clube aumentasse o tamanho das estruturas atuais, o que levou o clube a optar pela reformar do que já está construído, transferindo alguns dos escritórios para a Ciudad Real Madrid, o CT do time, em Valdebebas.

O clube começou a trabalhar no projeto do estádio em 2009. Três anos atrás, disse que o objetivo era terminar as obras em 2020, com um custo estimado inicialmente em 400 milhões de euros (aproximadamente R$ 1,73 bilhão). "É uma oportunidade que não deve ser perdida", disse Pérez, acrescentando que o novo estádio permitirá ao time se manter competitivo no cenário mundial.

De acordo com o dirigente, o Real Madrid investiu mais de 250 milhões de euros (R$ 1,08 bilhão) desde 2000 no estádio, que foi inaugurado em 1947.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.