Divulgação
Divulgação

Real Madrid não cede estádio para jogo do Barcelona

Federação Espanhola decide que Copa do Rei será no Camp Nou

Estadão Conteúdo

25 Março 2015 | 16h29

Barcelona e Athletic Bilbao vão decidir o título da Copa do Rei no estádio Camp Nou, que pertence ao time catalão. O polêmico local da final, marcada para o dia 30 de maio, foi decidido em votação na sede da Real Federação Espanhola de Futebol, nesta quarta-feira. O Camp Nou levou a melhor sobre o estádio San Mamés, do time de Bilbao, por 26 a 18 votos.

A decisão da entidade surpreende porque dá vantagem ao Barcelona, que terá a oportunidade de decidir o título diante de sua torcida. A polêmica teve início porque tradicionalmente a final da Copa do Rei é disputada em campo neutro. Assim, o Santiago Bernabéu, palco de outras finais da competição, era a melhor opção.

O Real Madrid, contudo, vetou o estádio para o decisivo jogo. O clube não deu maiores justificativas, mas sabe-se que o time temia ver o seu maior rival levantando a taça em seus domínios - time madrilenho foi eliminado nas oitavas de final pelo Atlético de Madrid. 

Além da questão esportiva, a disputa política pode ter interferido na decisão do Real. Tanto o Barcelona quanto o Athletic Bilbao representam regiões separatistas da Espanha. E não seria agradável ao clube de Madrid, mais próximo do governo, ter seu estádio transformado em palco para a festa dos rivais nos gramados e na política.

Sem poder contar com o Santiago Bernabéu, a organização da Copa do Rei também não poderia cogitar o Vicente Calderón, do Atlético de Madrid, e o Estádio Olímpico de Barcelona, porque ambos serão palco de shows musicais na data da final. As opções, portanto, se restringiam aos estádios do Barcelona, do Bilbao, do Valencia e do Sevilla.

Em primeira votação nesta quarta, o Camp Nou e o San Mamés se destacaram e venceram os estádios de Valência e Sevilla. E, na votação seguinte, o estádio do Barcelona ganhou a disputa. O Athletic Bilbao ainda não se manifestou publicamente sobre a decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.