Real mostra empenho e vence o Bayern de Munique por 3 a 2

Demonstrando vontade, garra e união, o Real Madrid derrotou nesta terça-feira o Bayern de Munique, por 3 a 2, no Estádio Santiago Bernabéu, em partida válida pelas oitavas-de-final da Liga dos Campeões. Com o resultado, a equipe madrilenha jogará por um empate no jogo de volta, que acontecerá no Allianz Arena, em Munique, no dia 07 de março.A vitória foi festejada especialmente pelo técnico italiano Fabio Capello, que se deu bem ao iniciar o jogo com o brasileiro Roberto Carlos e o astro David Beckham, que a partir de julho jogará no Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos - as cobranças de faltas e escanteios do inglês foram fundamentais para o resultado, assim como a precisão nas finalizações de Raúl e Ruud van Nistelrooy.Caso não vencesse, Capello poderia até mesmo deixar o comando do Real, que acumulou tropeços nos dois últimos jogos dentro do Bernabéu (derrota para o Levante, por 1 a 0, e empate com o Real Betis, por 0 a 0). Em contrapartida, o triunfo espanhol aumentou a crise do time alemão, que praticamente não tem mais chances de brigar pelo tricampeonato nacional.Para piorar ainda mais, o técnico Ottmar Hitzfeld, que assumiu há menos de um mês, demonstrou não ter conseguido dar um padrão tático para o time.AlucinanteO primeiro gol do Real saiu logo aos 9 minutos do primeiro tempo. O atacante Van Nistelrooy deu uma de meia e acertou um belo passe para Raúl, que livre de marcação ganhou na disputa com o goleiro alemão Oliver Kahn, que errou o tempo de bola ao tentar dar um carrinho. O espanhol só teve o trabalho de completar para as redes, para delírio de Fabio Capello.Apesar da vantagem, o jogo continuou igual. Assim, o empate não demorou muito para sair. Após cobrança de falta de Sagnol, aos 23 minutos, o zagueiro brasileiro Lúcio subiu livre de marcação para cabecear e balançar as redes do goleiro Casillas. O zagueiro italiano Fabio Cannavaro, eleito o melhor do mundo no ano passado pela Fifa, foi quem falhou na marcação de Lúcio - ele ficou perdidinho na área.A alegria alemã durou pouco mais de cinco minutos. Em cobrança de escanteio de David Beckham, o zagueiro Helguera desviou. Aproveitando a confusão na área, Raúl, inspirado, tocou para o gol, no ângulo esquerdo de Kahn, que mais uma vez apenas acompanhou a jogada. Demonstrando união, todos os jogadores do Real se abraçaram para festejar o gol.A euforia madrilenha causou uma pane no sistema defensivo do Bayern de Munique, que sofria com todas as bolas aéreas. E foi numa jogada desse tipo que saiu o terceiro gol. Beckham cobrou falta, aos 34 minutos. A bola foi suavemente desviada por Helguera, caindo nos pés de Van Nistelrooy - cara a cara com Kahn, ele só teve o trabalho de escolher o canto.CochiloCom dois gols de vantagem ao final do primeiro tempo, Capello decidiu realizar apenas uma modificação. Ele escalou Robinho, que entrou aos 7 minutos da etapa complementar no lugar do argentino Higuaín, que ainda não conseguiu se encontrar no meio-campo do Real, apesar da facilidade encontrada nesta terça.Mesmo com um amplo domínio sobre os alemães, o Real diminuiu o ritmo ao longo do segundo tempo. Com isso, o time acabou levando o castigo aos 42 minutos do segundo tempo. O holandês Van Bommel pegou um rebote na entrada da área, matou a bola no peito e acertou uma bomba no canto direito de Casillas, que não teve nenhuma chance para defender. Os torcedores do Real festejaram a vitória, mas ficaram assustados com o segundo gol alemão - caso sustentassem a vitória por 3 a 1, os madrilenhos poderiam perder por até um gol de diferença na Alemanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.