Real Potosí rebate críticas e ameaça não pegar o Flamengo

A diretoria do Real Potosí, da Bolívia, rebateu nesta sexta-feira as críticas feitas pelo presidente do Flamengo, Márcio Braga, que ameaçou não disputar mais nenhuma partida na altitude por considerar desumano para os jogadores."Se é para pedir para não jogar, nós também pediremos", contou o dirigente Angelo Pórcel, em entrevista ao diário Lá Razón. "Nós não queremos jogar (no Rio de Janeiro) por causa calor. Além disso, a umidade e os mosquitos nos incomodarão."Na última quarta-feira, Flamengo e Real Potosí empataram por 2 a 2, em jogo disputado no Estádio Municipal de Potosí, que fica cerca de 4 mil metros acima do nível do mar. Durante o jogo, parte dos jogadores do time carioca passaram mal e precisaram receber oxigênio."É claro que quando se muda o clima se torna tudo mais complicado. Isso acontecerá da mesma forma quando o nosso time for ao Brasil", disse Pórcel, que ainda contou que o Flamengo teve todo o apoio necessário quando viajou à cidade e que não precisava reclamar.As duas equipes só voltam a se enfrentar pela Libertadores no dia 18 de abril. A próxima partida do Flamengo pela competição será no dia 21, contra o Unión Maracaibo, no Maracanã. No mesmo dia, o Real Potosí estará enfrentando o Paraná, no Durival Britto, em Curitiba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.