Real: Sacchi sai e tenta explicar crise

O italiano Arrigo Sacchi se desligou oficialmente do Real Madrid nesta quinta-feira, depois de um ano no cargo de diretor de futebol. Num concorrida entrevista coletiva, ele tentou explicar a má fase da equipe. Disse que deixa o clube por saudade de sua terra e sua família e confessa que perde "prestígio e muito dinheiro" com a decisão. Acompanhado por Emilio Butragueño, vice-presidente do RealMadrid, Sacchi se despediu com a leitura de um comunicado em que tentou esclareceu aspectos que considerava obscuros. "Acabaram sendo publicados vários equívocos na Espanha eItália. Foi publicado que eu sairia por causa da demissão de Luxemburgo,disseram que tinham me demitido por causa da crise ou porque metinham me pedido para ser treinador, e também que sou covarde eestressado ou que não estou bem de saúde, cansado e velho", disse. "Quero esclarecer tudo. Minha saúde está bem, não me sintovelho nem cansado, ninguém me mandou pra fora porque teria pedido maisdinheiro, pedi para sair pela primeira vez em junho ao presidente,que me convenceu a ficar. No último mês de outubro, disse a ele quenão queria continuar, e até ontem, após a partida, ele voltou pedira me pedir que ficasse", disse. "É uma honra. Não saio porque estejamos numa má situação. Deixoo clube ainda mais triste. Não é fácil sair do time mais famoso domundo", admitiu. BRASILEIROS - Em sua despedida, Arrigo Sacchi tentou explicar as razões pelo fraco desempenho do time nos últimos meses. "Não é só um problema. Se fosse assim, seria fácil de resolver. Alguns perderam a auto-estima, como Júlio Baptista e Robinho, outros não estão em forma, já que vêm de um longo tempo lesionados. São muitas coisas, mas pelo bem do clube meu conselho é que deve ser feita uma autocrítica, e que todos se unam, sem pensar que o culpado é sempre outro", afirmou, com sinceridade."Um jogador como Júlio Baptista, que marcou 50 gols, não lembra ele. Devemos ter paciência, tranqüilidade, tentar melhorar as situações em vários campos diferentes e recuperar todos", opinou.Ao falar sobre Ronaldo, ele mostrou clareza na mensagem que quis transmitir à torcida: "Tenho certeza que Ronaldo ficará aqui. É meu amigo, conheço ele e está muito bem em Madri, mas tem necessidade de carinho da torcida ", avisou."Ele não me disse que queria sair. É um jogador fenomenal. O Real Madrid precisa do melhor Ronaldo e ele deve ver o que não está fazendo bem, mas todos nos equivocamos. Ele é um jogador imprescindível na história do Real Madrid", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.