Realista, Seleção renega rótulo

O Brasil virou o dream team, ou time dos sonhos, na cabeça de boa parte dos jogadores depois da ótima vitória sobre o Paraguai por 4 a 1, domingo, em Porto Alegre. Realmente a seleção agradou e mereceu elogios, mas pouca gente, incluindo o elenco, lembrou de dizer que o adversário era fraco e que, dos quatro gols, dois foram marcados em cobranças de pênalti. A prova de fogo, mesmo, seria contra a Argentina.E, nesse teste, o Brasil foi reprovado.Após a derrota por 3 a 1 para a Argentina, ontem (08), em Buenos Aires, os atletas caíram das nuvens e mudaram o discurso, adotando a cautela até então ignorada. Deixaram de lado o rótulo de dream team e reconheceram que não são tão superiores em relação a seus adversários."Não somos imbatíveis, fomos surpreendidos pela Argentina, mas acho que não há motivos para preocupação, pois iremos à Copa do Mundo", declarou Roberto Carlos. O lateral havia dito, na segunda-feira, em entrevista para a imprensa do Brasil e do exterior, que achava, sim, que a seleção brasileira era o dream team do futebol.Carlos Alberto Parreira, que não havia gostado dessa história de time dos sonhos, voltou a dar declarações comedidas, embora, é importante ressaltar, tenha se mostrado encantado com o desempenho do time diante do Paraguai, em Porto Alegre. "Essa derrota para a Argentina não é o inferno, assim como a vitória sobre o Paraguai não foi o céu." Parreira reafirmou que, em sua opinião, os favoritos ao título mundial na Alemanha, em 2006, são Brasil e Argentina . As equipes européias, realmente, não têm mantido bom nível. Espanha, Itália, França, Inglaterra e a anfitriã Alemanha vêm oscilando bastante. Há Holanda, Portugal e República Checa, que podem surpreender, mas nenhuma dá a impressão de estar acima das duas principais da América do Sul."Jogamos mal contra a Argentina no primeiro tempo, mas não é por causa da derrota que deixamos de ser uma grande seleção", avaliou o capitão Cafu. "Não é que sejamos um dream team, mas o Brasil costuma apresentar futebol agradável, as pessoas gostam de nos ver jogando", acrescentou Kaká, um dos que mais lutaram contra a Argentina .De qualquer maneira, é indiscutível a capacidade do time de Parreira e do talento de seus atletas. Não foi por acaso a festa dos torcedores argentinos na madrugada de quinta-feira, em Buenos Aires, pelo triunfo contra os brasileiros. Cansados e abatidos, os jogadores voltaram em silêncio no vôo da Argentina para São Paulo e Rio. A maioria desembarcou rapidamente para aproveitar o pouco tempo com familiares e amigos. Nesta sexta-feira, voltam ao Aeroporto de Cumbica, de onde seguem para a Alemanha para a disputa da Copa das Confederações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.