Rebaixamento preocupa Palmeiras

O Palmeiras está em estado de alerta. A possibilidade de rebaixamento no Campeonato Paulista, no qual a equipe ocupa a antepenúltima colocação, com 12 pontos, foi motivo de uma longa conversa do técnico Celso Roth com os jogadores, que atuaram na derrota por 3 a 1 para o Santos, domingo, na Vila Belmiro. A preocupação era evidente na fisionomia dos atletas. E a partida contra o Cerro Porteño, quarta-feira pela Libertadores, teve as suas atenções desviadas. "Estou preocupado. Temos mais quatro jogos fora de casa no Paulista e não há partidas de volta", destacou o goleiro Marcos, um dos principais lideres do time.Marcos responsabilizou a diretoria do clube por parte das dificuldades que a equipe vem encontrando. Para ele, os dirigentes deveriam ter pensado melhor antes de ter assinado um regulamento no qual a equipe faria o maior número de partidas longe da capital paulista. "Agora nós é que teremos de correr atrás dentro de campo. O Palmeiras é um todo, quando está jogando há vários setores envolvidos, passando desde os torcedores aos dirigentes", observou o goleiro.Marcos ressaltou ainda que esta fase difícil no estadual pode influenciar o desempenho da equipe no momento mais importante de sua história, o mundial de clubes na Espanha, que será realizado a partir de 28 de julho. ?Temos de parar de oscilar tanto, porque se estivermos assim no mundial, dificilmente vamos vencer. O mundial será um espelho de nosso trabalho no primeiro semestre" acrescentou.O próximo jogo do Palmeiras no Paulista será contra o Guarani, em Campinas, no domingo. Marcos até cogitou a necessidade do Palmeiras vencer o Cerro com o objetivo de poder priorizar o Paulista.Da conversa que o técnico Celso Roth teve com o grupo, o diretor de futebol Américo Faria não pôde participar. Ele ficou do lado de fora do campo, observando a distância Celso Roth gesticular com intensidade. "Ele perguntou se estávamos nos sentindo bem para o jogo de amanhã", contou Marcos.Apesar de destacar a evolução do grupo em vários aspectos, Roth não gostou da falta de atenção da equipe em muitos detalhes do jogo contra o Santos. "Muita coisa que foi passada por ele não aconteceu no jogo devido às circunstancias" completou Marcos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.