Rebelo ataca filantropia de Luxemburgo

A filantropia de Wanderley Luxemburgo, que resolveu financiar o time de basquete de Jundiaí, foi interpretada pelo presidente da CPI da CBF/Nike, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), como um populismo barato para tentar limpar sua imagem depois de tantas denúncias. "Acho muito bom ele ajudar o time, mas se ele quisesse ajudar a Nação, deveria pagar todas as suas dívidas para a Receita Federal, quitando todos os impostos que está devendo", fuzilou o parlamentar.Aldo Rebelo acusou Luxemburgo de estar usando uma tática comum entre empresários sonegadores. "Eles sempre fazem isso. Estão devendo impostos, mas ajudam o terceiro setor para tentar ganhar a opinião pública", afirmou o deputado.É a segunda vez que políticos criticam atitudes de Wanderley Luxemburgo. Semana passada, quando ele assumiu o cargo de técnico do Corinthians, foi duramente atacado pelo presidente da CPI do Futebol no Senado, Álvaro Dias, que dizia que o treinador não deveria ter voltado ao futebol sem que todas as denúncias contra ele tivessem sido esclarecidas.As primeiras investigações da CPI do Senado indicaram que Wanderley Luxemburgo pode ter sonegado imposto de renda entre 1994 e 1999. A quebra do sigilo bancário do treinador mostrou uma movimentação bancária de R$ 18,8 milhões contra rendimentos de R$ 8,5 milhões que constam nas declarações de Imposto de Renda. Além disso, o técnico foi multado pela Justiça Federal em R$ 250 mil por sonegação de impostos em 1994.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.