Receita dos times cai a cada temporada

O grande faturamento dos clubes brasileiros de futebol está na venda de jogadores e nas cotas de televisão. E a situação patrimonial deles só tende a piorar. É o que mostra um estudo feito pela Casual Auditores apresentado nesta quinta-feira em São Paulo com base em 19 clubes com receita superior a R$ 15 milhões entre 2003 e 2004. Dos clubes analisados, apenas sete tiveram superávits em 2004 - Corinthians, Palmeiras, Santos, Cruzeiro, Internacional, Flamengo e São Caetano. Se não fosse a MSI, o Corinthians terminaria o ano passado com déficit de quase R$ 40 milhões. O São Paulo acabou 2004 com um déficit acumulado de R$ 29,778 milhões. Mas o diretor de planejamento do clube, João Paulo de Jesus Lopes, não vê preocupação nenhuma. "Realmente tivemos um déficit ano passado (R$ 1,999 milhão), mas é porque investimos no Centro de Formação de Atletas. E o grande problema foi em 2001, quando tivemos um déficit superior a R$ 20 milhões. Com certeza este ano vamos ter um bom lucro com a conquista da Libertadores e a venda de jogadores como Rodrigo e Cicinho." Se Jesus Lopes não está preocupado, a opinião do auditor da Casual Auditores, Carlos Aragaki é bem diferente. "A tendência é que a situação dos clubes piore a cada ano. Quantos Robinhos vão aparecer para serem vendidos?", indaga. O Palmeiras foi o clube que teve o maior patrimônio líquido registrado ano passado - R$ 144,626 milhões -, enquanto Flamengo, Fluminense e Botafogo tiveram os menores. "Mas a grandeza do clube não pode ser comparada aos gastos que tem no ano", explica Aragaki, lembrando que o Palmeiras pouco gastou ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.