Reuters
Reuters

Receita federal italiana vai processar Maradona por difamação

Emilio Ricci e Antonella Follieri, advogados da Equitalia, acusam o ex-jogador de jogar a população contra a entidade através da mídia

Estadão Conteúdo

21 de janeiro de 2015 | 15h17

Um promotor de Roma pediu, nesta quarta-feira, que Diego Maradona seja submetido a um processo judicial por difamação contra a Equitalia, a receita federal local, que cobra do ex-jogador argentino uma dívida de 40 milhões de euros.

Emilio Ricci e Antonella Follieri, advogados da Equitalia, denunciaram Maradona por uma "grande campanha de difamação" por meio da imprensa, uma vez que ele descreve a entidade como "injusta e prevaricador". Eles ainda acusam o ex-jogador de ter alimentado clima de agressividade em torno da Equitalia.

Em uma audiência nesta quarta-feira, o promotor Nicola Maiorano pediu que Maradona seja processado, o que será decidido pela juíza Chiara Giammarco, do tribunal de Roma. A decisão dela será anunciada em 18 de março.

As dívidas fiscais de Maradona, de quase 40 milhões de euros na Itália decorrem de supostos impostos não pagos durante o período em que ele jogou pelo Napoli entre 1984 e 1991, quando ajudou o clube a conquistar seus únicos dois títulos do Campeonato Italiano.

Tudo o que sabemos sobre:
FutinterfutebolDiego Maradona

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.