Recém-chegado, Ricardo Jesus elogia estrutura do clube

Atacante está desde janeiro no Thai Honda, da Segunda Divisão

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2016 | 17h00

O atacante Ricardo Jesus chegou à Tailândia no início do ano. É sua primeira experiência no país, e ele está gostando. Não só da estrutura do Thai Honda, mas da cidade de Bancoc, a capital do país. "Até agora está sendo muito bacana, a gente se adaptou muito rápido, minha filha (Isabelle, 6 anos) está estudando numa escola internacional. A minha esposa (Lia) já se encontrou com outros brasileiros que vivem aqui. E Bancoc é fácil de viver, de se locomover."

Como você foi parar na Tailândia?

Um empresário entrou em contato e disse que tinha essa oportunidade. Como eu queria sair de novo do Brasil, aceitei.

Você jogou no México. O salário na Tailândia é melhor do que lá?

No México eu ganhava mais, mas não está ruim. Meu time é da Segunda Divisão. Paga salário razoável.

Na sua carreira, também já esteve na Rússia e Grécia. Optou por jogar sempre fora do Brasil?

Eu sai do Brasil com 20 anos, mas na verdade, o sonho era jogar sempre no Brasil. Consegui. Joguei na Ponte Preta, Avaí e outros. Mas o jogador tem de abraçar a oportunidade.

Já fez bom patrimônio?

Tenho alguns imóveis em Florianópolis. Ainda não é o que a gente deseja para poder encerrar a carreira, mas já é alguma coisa.

Tudo o que sabemos sobre:
Futebol internacionalfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.