Recepção fria na chegada do Real

Os torcedores do Real Madrid deram uma bela esnobada na conquista do Mundial Interclubes. A cidade não parou, nesta quarta-feira, na chegada da delegação, não houve as tradicionais comemorações na Praça de Cibeles, centro da cidade, nem aglomeração no estádio Santiago Bernabéu. As manifestações se resumiram à euforia de pouco mais de 500 pessoas que foram ao aeroporto de Barajas esperar seus ídolos.A chegada foi tranqüila, sem tumultos. Os jogadores, cansados, se limitaram a acenar para o público e a distribuir poucos autógrafos. O capitão Fernando Hierro desceu do avião com a taça nas mãos e o ônibus oficial do clube foi seguido, até a sede, por uma carreata."Agradecemos o carinho dos fãs", comentou, diplomaticamente, o diretor de futebol Jorge Valdano. "Isso nos alegra e nos motiva ainda mais, mas temos de pensar agora em nossos compromissos no campeonato e na Liga dos Campeões", emendou o cartola.Dessa forma, Valdano deu o tom em torno das metas que o time estabeleceu para a temporada de 2002-03. A diretoria considera ponto de honra a conquista pelo menos do título doméstico, para compensar a frustração do torneio anterior - o do centenário -, em que o time foi irregular nas rodadas finais até ser superado pelo Valencia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.