Recordes pessoais dão motivação extra para Cafu

Perto de completar 36 anos (faz aniversário no dia 7 de junho), Cafu parece um menino nos treinos da seleção brasileira em Weggis, na Suíça. Além da motivação natural por disputar uma Copa, o lateral-direito admite que a possibilidade de bater alguns recordes pessoais lhe dá ainda mais ânimo para o Mundial da Alemanha.Prova dessa motivação é a performance de Cafu nos treinos. Apesar de ser o jogador mais velho do grupo, ele esbanja vigor físico no trabalho em Weggis. Na manhã desta sexta-feira, por exemplo, foi sempre o primeiro a terminar os exercícios."Nessa Copa a motivação é até dobrada, por causa de tudo o que ela representa", revelou Cafu, que foi muito contestado nos últimos meses, mas tem a confiança do técnico Carlos Alberto Parreira - é titular e capitão do time. "Não ligo para essas críticas", garantiu.RecordesCafu já é o jogador que mais vezes defendeu a seleção brasileira em toda a história - 143 partidas, sendo 137 oficiais. E pode se tornar o que mais vestiu a camisa do Brasil em Copa. Até agora, ele soma 16 jogos, contra 18 dos recordistas Dunga e Taffarel.Um recorde mundial que já pertence a Cafu é a presença em três finais de Copa seguidas - e ele pode ampliar essa marca na Alemanha. Além disso, depois do penta em 2002, ele tem chance de se tornar o único capitão da história a ser campeão duas vezes.Nem a recente cirurgia no joelho esquerdo, no começo do ano, abala a confiança de Cafu. Completamente recuperado da contusão, ele só pensa em entrar logo na melhor forma física. "Cheguei com 98% das minhas condições e vai ser fácil conseguir o que falta", avisou o capitão da seleção brasileira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.