Reprodução / Twitter Bayern de Munique
Reprodução / Twitter Bayern de Munique

Recordista do Alemão, Müller renova contrato com Bayern de Munique até 2024

No clube desde os 10 anos, jogador estende seu vínculo com a equipe bávara até 2024, onde soma 11 títulos nacionais, sendo 10 destes de forma consecutiva

Redação, Estadão Conteúdo

03 de maio de 2022 | 11h19

Uma das referências do Bayern de Munique, o atacante Thomas Müller renovou seu contrato para defender a equipe alemã por mais um ano. Nesta terça-feira, o jogador de 32 anos estendeu seu vínculo até 2024. Inicialmente, ele jogaria pelo Bayern somente até o próximo ano.

Müller tem forte identidade com o time bávaro, que defende desde os 10 anos de idade. No entanto, seu futuro vinha sendo alvo de rumores nos últimos meses porque a aguardada renovação demorou para ser efetivada. "Thomas Müller é uma pessoa que se identifica fortemente com a cultura do clube. Ele carrega o brasão do Bayern no seu coração", disse o diretor executivo do Bayern, o ex-jogador Oliver Kahn.

O atacante é o recordista de títulos do Campeonato Alemão, com 11 troféus no currículo, dez deles conquistados de forma consecutiva com o Bayern. Ele soma ainda seis títulos da Copa da Alemanha, sete da Supercopa da Alemanha, além de dois troféus da Liga dos Campeões da Europa e dois Mundiais de Clubes. No total, ele soma 624 partidas pela equipe.

"Estou muito feliz por estender meu contrato com o Bayern até 2024. A jornada que fazemos aqui desde que entrei na academia do clube em 2000 é uma história fantástica de sucesso. Tenho um imenso orgulho em exibir a cor vermelha ano após ano, dentro e fora dos gramados", comemorou o experiente jogador.

Um dos principais dirigentes do clube, Hasan Salihamidzic exaltou o atacante. "Você não consegue imaginar Thomas Müller sem o Bayern e o Bayern sem Thomas Müller. É por isso que estamos tão felizes com a renovação do contrato. Ele é um líder com fome de sucesso e um papel importante dentro e fora dos gramados, que incorpora os valores do Bayern como poucos", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.