Carlos Gregório Jr. / vasco.com.br
Carlos Gregório Jr. / vasco.com.br

Recuperado de choque na cabeça, Thiago Galhardo pede Vasco forte em Chapecó

Time cruzmaltino busca reabilitação após ser goleado pelo Racing na Argentina

Estadão Conteúdo

21 de abril de 2018 | 19h26

Uma pancada na cabeça em disputa de bola com Fábio Santos na partida contra o Atlético-MG impediu Thiago Galhardo de atuar pelo Vasco diante do Racing, da Argentina, na última quinta-feira, pela Copa Libertadores. Recuperado do choque, o meia viajou com o elenco para Chapecó, onde o time carioca enfrenta a Chapecoense neste domingo, na Arena Condá, e pediu o mesmo espírito da estreia do Campeonato Brasileiro para vencer a segunda partida na competição nacional.

+ Martín Silva aposta em São Januário para reabilitar Vasco na Libertadores

+ Corinthians, Palmeiras, Flamengo e Vasco decidem em casa na Copa do Brasil

"Ganhamos do Atlético Mineiro de virada numa partida que tivemos um grande volume de jogo. Criamos várias oportunidades e mostramos a nossa força, a verdadeira cara do Vasco. Se tivermos aquele mesmo espírito em todos os jogos, com certeza vamos brigar na parte de cima da tabela. Precisamos impor nosso jogo, manter a posse de bola e marcar com intensidade. É importante sermos fortes também fora de casa", disse o meia.

Em razão do choque na cabeça, Galhardo teve de ficar 48 horas em observação, como manda o protocolo da Fifa, e disse que ficou impressionado ao ver o lance. Mas garante que foi apenas um susto e ele está pronto para voltar a campo.

"Minha família ficou muito preocupada com tudo que aconteceu. Foi um susto grande, o pior momento que passei na minha carreira, sem dúvidas. Vi o replay do lance depois e fiquei ainda mais impressionado", revelou. "O importante é que já estou recuperado e me sentido bem. Queria ter viajado para a Argentina, mas era preciso seguir o protocolo de ficar 48 horas em observação. Agora estou pronto para ajudar o time", garantiu o jogador.

O desafio do Vasco em Chapecó é não deixar a dura goleada sofrida na Argentina pela Libertadores influenciar no desempenho do time no torneio nacional, em que o time carioca estreou com vitória por 2 a 1 de virada sobre o Atlético-MG, no último domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.