Nelson Perez/FFC
Nelson Perez/FFC

Recuperado, Sornoza diz que ainda é cedo para jogar 90 minutos no Fluminense

Equatoriano quer ganhar ritmo de jogo antes de disputar uma partida inteira novamente no Brasileirão

Estadao Conteudo

04 de setembro de 2017 | 20h54

Recuperado de uma fratura no tornozelo, o meia Junior Sornoza afirmou nesta segunda-feira que ainda não está pronto para jogar 90 minutos com a camisa do Fluminense. O equatoriano, que ficou afastado dos gramados por três meses, quer ganhar ritmo de jogo antes de disputar uma partida inteira novamente no Brasileirão.

"Creio que ainda não estou pronto para 90 minutos, mas eu estou bem", avisou o jogador. "Trabalhamos no dia a dia em busca de um lugar. Se tiver que ficar no banco, tenho que entender, porque ainda não estou 100%. Mas mentalmente estou bem, isso é fundamental. Agora é recuperar a forma física, porque o Brasileirão é difícil e voltar à forma depois de uma lesão grave não é fácil."

Sornoza admitiu que está ansioso para voltar a jogar após três meses. "Estou ansioso para voltar a fazer as coisas bem, quero voltar com muito mais força", declarou. "Sinto-me muito feliz por estar novamente com meus companheiros. Passar por uma operação e ficar três meses fora dos gramados me custou muito. Voltar a jogar me fez sentir muito bem."

"Tenho que agradecer ao departamento médico, que sempre esteve a meu lado para que a recuperação fosse total. Agradeço também a todos os torcedores que me mandaram força, aos meus companheiros e ao Abel Braga. Ele me dá muita confiança", disse o equatoriano.

Recuperado, Sornoza treinou normalmente com o restante do grupo tricolor nesta segunda, na reapresentação do elenco, após folga no fim de semana. O técnico Abel Braga comandou treino coletivo que contou com os 24 jogadores de linha disponíveis. Henrique Dourado, Lucas e Peu balançaram as redes durante a atividade.

Visando ao jogo contra o Vitória, no domingo, no Barradão, o Fluminense treinará em período integral nesta terça-feira.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.