Cesar Greco/Palmeiras
Cesar Greco/Palmeiras

Redenção de Gabriel Veron no Palmeiras tem sentimento de 'alegria e desabafo'

Depois de dar o passe para Dudu marcar o gol que colocou o time na final da Libertadores, jovem atacante espera engrenar no time alviverde

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2021 | 20h04

Gabriel Veron não vai esquecer tão cedo da sua primeira e única, por enquanto, assistência na temporada. O jovem atacante, criticado por atuações ruins em 2021, se redimiu e deu o passe para o gol de Dudu que colocou o Palmeiras na final da Libertadores. Depois de ter sido decisivo para a equipe ir à segunda decisão seguida do torneio continental, o atleta diz que o sentimento é de "alegria e desabafo".

"Estava precisando de um momento assim. Estava passando por uma fase que não era boa nem pra mim nem pra minha família e essa assistência pôde tirar um peso de mim. Fui feliz naquele lance e mais uma vez estamos em uma final", resumiu o jovem de 19 anos.

A torcida espera muito de Verón pelo que o garoto construiu na base. Foi eleito o melhor jogador do Mundial sub-17 em 2019 e subiu ao profissional com moral em naquele mesmo ano. Ainda não conseguiu, porém, engrenar na equipe principal. Ele soma 11 gols e sete assistências pelo Palmeiras. A inspiração para deslanchar e entregar o que os torcedores esperam dele é Dudu, ídolo palmeirense.

"Dudu não é um ídolo só pra mim, mas pra muitos aqui no grupo, pra torcida. Ser ídolo em um clube gigante como o Palmeiras não é para qualquer um".

Atividade diferente

O Palmeiras se reapresentou na tarde desta quinta-feira, na Academia de Futebol, após folgar na quarta. A equipe enfrenta o Juventude domingo, às 18h15, no Allianz Parque, pela 23ª rodada do Brasileirão. Os titulares e quem atuou por mais de 45 minutos diante do Atlético-MG na terça-feira fizeram uma atividade diferente. Em clima de descontração, como parte do treinamento regenerativo, os atletas jogaram vôlei aquático em uma quadra inflável montada na piscina aquecida do CT.

A atividade de recuperação foi implementada pelo Núcleo de Saúde e Performance do clube e fará parte dos processos pós-jogo do Palmeiras. "As atividades na água nos trazem diversas vantagens, já que sabemos que a pressão facilita a recuperação muscular e do organismo. Além disso, um ambiente climatizado em temperatura mais elevada promove a sensação de relaxamento e recuperação, tudo isso em uma atividade lúdica na qual os atletas se divertem promovendo o bem-estar e a recuperação mental. A aceitação foi excelente, já que eles têm contato com a bola e exercitam outras partes do corpo", explicou o coordenador científico do clube, Daniel Gonçalves.

No campo, os goleiros e jogadores que jogaram  menos de 45 minutos no empate em 1 a 1 com o Atlético-MG, no Mineirão, fizeram um trabalho técnico. Abel Ferreira comandou um treino de transições, troca de passes, posicionamento, finalizações, entre outros. Na sequência, os atletas foram divididos em times de seis em campo reduzido e encerraram a atividade treinando faltas.

Devido a dores recorrentes no joelho direito, o lateral-direito Mayke foi submetido a uma artroscopia na quarta-feira. A cirurgia foi bem-sucedida e o jogador já iniciou sua recuperação. Com dores na coxa direita, o lateral-esquerdo Victor Luís deu sequência ao tratamento com atividades no campo e na parte interna do centro de excelência. O elenco do Palmeiras volta a treinar nesta sexta-feira.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.