Andrés Cristaldo/EFE
Andrés Cristaldo/EFE

Referência do Paraguai, Gómez se destaca com média de menos de uma falta por jogo

Zagueiro do Palmeiras tem média de 0,8 infrações por partida e ainda não recebeu cartões amarelos em cinco jogos disputados nas eliminatórias

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2021 | 15h00

Em meio a toda confusão na CBF e no Brasil para a disputa da Copa América, a seleção nacional terá pela frente um importante jogo pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2022. Nesta terça-feira, às 21h30 (de Brasília), visitará o Paraguai, em Assunção, pela sexta rodada do torneio. 

O destaque da seleção adversária, capitão da equipe, é o zagueiro do Palmeiras Gustavo Gómez. O jogador tem sido fundamental para manter a seleção de seu país na zona de classificação para o Mundial - é o atual 4º colocado, com 7 pontos. Ele disputou os cinco jogos até agora e, segundo o Footstats, está com média de 0,8 faltas por partida. Ainda não recebeu cartão amarelo.

O Paraguai vem de empate sem gols com o Uruguai na última quinta-feira fora de casa. "Nossa cabeça está em recuperar a parte física para enfrentar o Brasil. Nossa ideia é sempre jogar para ganhar. Precisamos corrigir os erros dos últimos jogos e pensar sempre em melhorar", disse o zagueiro. 

Gómez, de 1,88m, tem como ponto forte o cabeceio. Também de acordo com o Footstats, é o líder em rebatidas entre os jogadores das eliminatórias. Já afastou a bola por 46 vezes nos cinco jogos. Também tem boa precisão nos passes, com índice de acerto em 97%.  

Ele sabe que será difícil ganhar do Brasil no estádio Defensores del Chaco. Mas na última entrevista coletiva comentou o que sua seleção precisará fazer. "Não podemos "Não podemos nos acomodar no jogo. Temos que trabalhr com humildade. Sabemos que do outro lado vamos enfrentar um dos melhores times do mundo. Não podemos relaxar. Temos também jogadores de alto nível e respeito."

O setor defensivo paraguaio é o que menos preocupa o técnico Eduardo Berizzo. Ele gostou do desempenho dos quatro defensores no empate com o Uruguai. A dupla de zaga deve ficar de olho em Gabigol, enquanto o setor de meio-campo dará atenção especial a Neymar. 

O treinador deve mandar a campo uma equipe bem forte defensivamente, com o primeiro volante, Espínola, quase como um terceiro zagueiro, de olho em Neymar. O ex-corintiano Angel Romero atuará por uma das pontas também com a função de marcar um dos atacantes. O único atacante de fato da equipe seria Miguel Almirón.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.