Josep Lago/AFP
Josep Lago/AFP

Reforço do Barça, colombiano comemora chance no 'melhor clube do mundo'

Zagueiro Jeison Murillo foi apresentado nesta quinta-feira pela equipe catalã

Redação, Estadão Conteúdo

27 Dezembro 2018 | 16h23

O Barcelona apresentou nesta quinta-feira seu mais novo reforço para a defesa: Jeison Murillo. E o zagueiro colombiano não deixou de exaltar seu novo time. O jogador de 26 anos, que pertence ao Valencia e chega por empréstimo, disse que vai atuar "no melhor clube do mundo".

"É uma ótima sensação assinar com o Barcelona, por ser o melhor clube do mundo", declarou o jogador, que assinou contrato de empréstimo somente até o fim da temporada europeia. Se o clube catalão quiser contratar o atleta em definitivo, terá que desembolsar 25 milhões de euros (cerca de R$ 111 milhões).

Murillo disse realizar um sonho ao receber esta oportunidade no famoso time da Catalunha. "Estou muito feliz por ter esta chance. Jogar pelo Barça é um sonho que se realiza", declarou o colombiano, que iniciou sua carreira no Deportivo Cali e já defendeu clubes como Granada, Cádiz, Las Palmas e Inter de Milão.

No Barcelona, o zagueiro prometeu empenho em campo. "Eu sempre tentei dar 100% nos clubes em que estive. E vou fazer o mesmo aqui", disse Murillo, já ansioso por jogar ao lado de Lionel Messi. "Será uma grande vantagem. Espero poder ajudá-lo e ajudar o time a conquistar os objetivos do clube."

O colombiano ganhou elogios de Eric Abidal, secretário-técnico do primeiro time. "Ele tem todo o perfil de jogador que atua como zagueiro, com caráter, velocidade e força na região defensiva", declarou Abidal, ex-jogador do próprio clube catalão.

Em seu novo time, que não teve sucesso recentemente com Yerry Mina, outro zagueiro colombiano - emprestado ao Everton, da Inglaterra -, Murillo chega para ser opção no elenco que tem sofrido com desfalques na defesa. O francês Umtiti e o belga Vermaelen estão lesionados, o que deixa o técnico Ernesto Valverde apenas com Lenglet e Piqué como opções.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.