Nelson Perez/Divulgação
Nelson Perez/Divulgação

Reforço, Marcelinho revela orgulho por acerto com Flu

Jogador estava no Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos

AE, Agência Estado

23 de julho de 2013 | 16h13

RIO - Recém-contratado pelo Fluminense, o atacante Marcelinho foi apresentado nesta terça-feira como novo reforço do clube e assinou contrato até o final do ano. O jogador, que estava no Al-Wahda, do futebol dos Emirados Árabes Unidos, se disse orgulhoso pela oportunidade de atuar em um dos principais clubes do País.

"Primeiramente quero dizer que sou muito grato por vestir a camisa do Fluminense. Estou num grande clube, com muitos ídolos e é um orgulho", afirmou Marcelinho, que estava no Al-Wahda desde 2012. Formado nas categorias de base do Atlético Mineiro, ele também passou por Aalborg, da Dinamarca, Orgyte, da Suécia, Avaí, Naval, de Portugal, e Al Sharjah, dos Emirados Árabes.

O reforço prometeu lutar por uma vaga entre os titulares, mesmo com a concorrência de vários atacantes, como Fred, Rafael Sobis, Marcos Junior e Rhayner. "A concorrência é grande, são ótimos jogadores, mas acredito no meu trabalho. Jogadores de qualidade são importantes para ajudar o Fluminense a buscar seus objetivos", disse.

Pouco conhecido do torcedor, Marcelinho apresentou suas características e prometeu ajudar o Fluminense a se recuperar no Campeonato Brasileiro. "Sou um jogador mais de área, estilo Fred, e estou a disposição para ajudar o Abel e o grupo. Se ele precisar que eu jogue nas laterais, mais aberto, não tem problema nenhum. Tenho velocidade, certa técnica e com minhas qualidades posso ajudar o Fluminense. O mais importante agora é que os jogadores fiquem focados para sair dessa fase", comentou.

Em má fase, o Fluminense está apenas em 14º lugar no Campeonato Brasileiro, com nove pontos. O time volta a entrar em campo no próximo domingo, quando vai enfrentar o Grêmio, fora de casa, em partida válida pela nona rodada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseMarcelinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.