Reforços não são prioridade santista

Se depender do técnico Emerson Leão, o Santos não precisa correr atrás da contratação de reforços para o Campeonato Brasileiro. Ele entende que a atual equipe está dando conta do recado, fato demonstrado no último sábado, ao vencer o arqui-rival Corinthians, na Vila Belmiro, por 3 a 1, convencendo a exigente torcida santista, que saiu satisfeita com o resultado do amistoso e confiante no elenco jovem do Santos. O entusiasmo era a palavra de ordem entre os jogadores, que voltaram a treinar na tarde desta segunda-feira no Centro de Treinamento ReiPelé, com vistas à estréia do time no próximo dia 10, contra a equipe do Botafogo-RJ, no Estádio Urbano Caldeira. O lateral-esquerdo Léo, um dos atletas mais experientes, resumia: "não existe teste melhor do que jogar contra o Corinthians, por toda a sua rivalidade e pela pressão que sempre exerce contra o adversário", disse, lembrando que o time foi muito aguerrido e mereceu a vitória. Já o meio-campista Renatinho, embora concorde com a evolução da equipe, considerada extremamente jovem, com uma média de idade de 22 anos, acha que os reforços "serão bem-vindos, porque só tendem a somar, dentro de uma competição difícil, que não tem favoritos". Até a semana que vem, os dirigentes santistas, por sua vez, devem anunciar a vinda de um jogador experiente para as posições que o treinador considera mais carentes, como um meia e um goleiro. Robert, que foi emprestado ao São Caetano, dificilmente retorna à Vila Belmiro, fazendo com que Leão exija pelo menos mais um jogador como peça de reposição. Idêntica situação vive o lateral-esquerdo Rubens Cardoso, que também vem atuando no São Caetano, por empréstimo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.