Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Reforços resolvem problema, e Palmeiras tem laterais como destaque

Clube se livra de ponto fraco do ano passado e ganha força com jogadores como Marcos Rocha e Diogo Barbosa

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

09 Maio 2018 | 11h00

Se o Palmeiras vive um bom momento em 2018, é principalmente por uma substancial mudança no elenco. A vinda de reforços para as duas laterais resolveu um problema recorrente na equipe na última temporada, quando falhas, atuações ruins e a falta de opções para o setor dificultaram o trabalho dos treinadores.

+ Palmeiras estreia na Copa do Brasil atento em 'atalho'

+ Tabela da Copa do Brasil 2018

Em 2017 a equipe contava inicialmente com Zé Roberto, Egídio, Fabiano e Jean para a posição. Ao longo do ano a diretoria se reforçou com o zagueiro Juninho, que pode atuar também pela lateral-esquerda, e trouxe Mayke para o lado direito, já que Jean começou a sofrer com lesões e não pode ter uma sequência adequada no time titular.

Pelo lado esquerdo, o ano terminou com Zé Roberto aposentado do futebol e Egídio em fim de contrato de empréstimo, além de estar em baixa com a torcida por ter perdido o pênalti decisivo para a eliminação na Copa Libertadores. O clube se reforçou ainda no fim de 2017 com Diogo Barbosa, destaque do Cruzeiro, e contou com a volta de Victor Luís, que estava emprestado ao Botafogo.

Os dois novatos no elenco assumiram o papel. Victor Luís começou o ano como titular, fez boas atuações no Campeonato Paulista e só perdeu a vaga no time quando Diogo Barbosa se recuperou de lesão. O ex-cruzeirense tem agradado o técnico Roger Machado e por enquanto seguirá como dono da posição.

Na direita o Palmeiras trouxe para o começo de 2018 Marcos Rocha e liberou Fabiano para ser emprestado ao Inter. O jogador que veio do Atlético-MG fez no último domingo o primeiro gol pelo Palmeiras e tem sido forte no apoio às jogadas ofensivas. "Venho trabalhando a cada dia, tentando mostrar minha qualidade. Quero ajudar o Palmeiras a vencer", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.