Reforma no Canindé faz Lusa inverter mando de campo

A torcida da Portuguesa se irritou com o fato do jogo contra o Corinthians ter sido disputado no Pacaembu embora o mando fosse rubro-verde. Em entrevista à Agência Estado, o presidente da Lusa, Manuel da Lupa, explicou que mudou o local da partida porque o Canindé passa por reformas e não comporta um clássico no momento.

Daniel Batista, Agência Estado

23 de fevereiro de 2012 | 18h56

"Estamos arrumando o gramado, arquibancadas e várias outras coisas que precisavam ser mexidas", disse o dirigente, que esperava mais torcedores no Pacaembu. "Acreditávamos que teria uns 15 mil, pelo menos. Não temos culpa da torcida não ter ido ao jogo", disse o lusitano. Apenas 6.632 torcedores foram ao duelo.

A reclamação da torcida é mudar o local justamente para onde o Corinthians manda seus jogos. Sobre o assunto, Da Lupa explica. "Jogar com o Corinthians é sempre difícil, independente do lugar. Não perdemos por causa disso. Perdemos porque o juiz validou um gol irregular deles e porque deixou de marcar muita coisa a nosso favor".

Antes de tomar a decisão, Da Lupa conversou com membros da diretoria e da comissão técnica. "Falei com meus dirigentes e com o Jorginho. Tínhamos duas opções: interior e Pacaembu. Interior seria ruim para ir e voltar, então optamos pelo Pacaembu, que é mais fácil para todo mundo".

Segundo o dirigente, por culpa das reformas, o Canindé só comporta atualmente jogos contra times menores. Clássico deve ser realizado na casa rubro-verde apenas no Brasileirão. "Se tivermos mais um clássico para ser disputado no Paulista devemos mandar para Barueri ou até interior, só para não ter problemas", disse o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.