Reformulada, Ponte promete força

Como já aconteceu nos anos anteriores, a Ponte Preta montou um time forte para a disputa do Campeonato Brasileiro. Ano passado ela terminou em quinto lugar. Após a reformulação do elenco, o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, espera driblar os problemas de contusão surgidos de última hora para tentar consolidar um esquema tático. "Prefiro atuar sempre no ataque, no esquema 3-5-2. Mas nem sempre isso é possível. Tem determinados jogos, que a gente começa no 3-5-2, usa o 4-4-2 e faz uma série de modificações. O futebol é muito dinâmico", avalia Vadão. Na primeira metade do campeonato o treinador não poderá contar com o meia Piá, que está se recuperando de contusão. Mas além da ausência de Piá - um dos principais destaques do time nos últimos campeonatos - Vadão terá de preparar a equipe sem o atacante Washington. O seu maior artilheiro nas últimas temporadas foi vendido ao Fernebahçe, da Turquia, por US$ 8 milhões. Mas este dinheiro foi usado para reformular o elenco, que teve altos e baixos no Torneio Rio-São Paulo. Os novos reforços vão ajudar. Como o goleiro Hiran (Internacional-RS); o lateral Daniel (Palmeiras); o zagueiro Marinho (Besiktas-TUR); o meia Alex Oliveira (Vasco da Gama-RJ) e os atacantes Basílio (Ituano-SP) e Fabrício Carvalho (União Barbarense). Time base: Hiran; Daniel, Marinho, Rodrigo e Elivélton; Dionísio Mineiro, Alex Oliveira e Hernani; Basílio e Macedo. Técnico: Oswaldo Alvarez - Vadão.

Agencia Estado,

09 Agosto 2002 | 15h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.