Regenerado, Tardelli deve reforçar Tricolor

O atacante Diego Tardelli está passando por uma transformação aos olhos da diretoria e da comissão técnica do São Paulo. De alguém irrecuperável, com problemas insolúveis de comportamento, está se tornando a solução possível para reforçar o ataque do time."Tenho tido notícias animadoras a respeito do Diego Tardelli. Ele tem comparecido a todos os treinos, sempre no horário. Isso pode apressar sua volta ao time", diz o presidente Marcelo Portugal Gouvêa, que o afastou do elenco profissional e o mandou para Barueri, onde treinam os aspirantes, sob o comando de Cilinho.Tardelli, que apareceu muito bem no final do Brasileiro do ano passado, começou 2004 como se estivesse escrevendo um manual de mau comportamento para um jogador de futebol: jogou a Copa São Paulo de Juniores obrigado; para assistir a um show de Fábio Jr., não aceitou concentrar-se um dia antes dos companheiros; e foi visto várias vezes em ?baladas? noturnas. Trouxe ainda outros tipos de problemas ao clube: não pagou o aluguel do flat onde morava e constantemente sua mãe ligava para diretores, pedindo que ele lhe desse dinheiro. Tardelli endividou-se também para comprar seu primeiro carro - um Golf - e outros objetos de desejo, como um laptop que lhe permitisse assistir a filmes na concentração.Reservadamente, foi chamado de "lixo humano" e considerado uma pessoa sem possibilidade de recuperação. "Sempre acreditei na sua recuperação, tanto que me recusei a emprestá-lo para seis clubes que o queriam", esclarece Portugal Gouvêa.A fragilidade do elenco e as dificuldades financeiras estão influenciando na decisão da diretoria. "Ele joga bem e está difícil conseguir um jogador de seu nível. E quando um dos nossos atacantes se machuca, não temos ninguém para o banco. E não podemos esquecer que o Luís Fabiano será convocado constantemente para a Seleção", observa o dirigente.Cuca, que era contrário ao reaproveitamento de Diego, tem mudado de idéia. Tardelli continua inscrito na Libertadores. "E estou pronto para jogar, treinando muito bem e em boas condições físicas. Se for escalado, posso entrar e render meu melhor. Peço perdão uma vez mais, criei juízo e só preciso de uma chance", diz o jogador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.