Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

'Regida' pelo Canarinho, torcida faz festa para receber seleção em Kazan

Polícia russa também se rendeu à agitação e alguns oficiais fizeram vídeos e tiraram fotos com seus celulares

Ciro Campos, enviado especial/Kazan, O Estado de S.Paulo

05 Julho 2018 | 07h06

O Canarinho virou uma espécie de maestro da torcida para a festa de recepção à seleção brasileira em Kazan, na Rússia, nesta quinta-feira, véspera do jogo com a Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Por volta do meio-dia no horário local (6h da manhã em Brasília) a delegação chegou ao hotel, onde cerca de 200 brasileiros cantavam, gritavam o nome dos jogadores e tinham o ritmo das músicas ditado pela mascote que conquistou o carinho do público.

+ Miranda será capitão e se torna nome que mais exerceu função com Tite na seleção

+ Brasil caiu nas quartas de final em 1/3 das Copas do Mundo

+ Thierry Henry faz trabalho psicológico especial com Lukaku

Os torcedores se reuniram na porta da hotel com bandeiras, camisa de clubes brasileiros, faixas e adereços curiosos. Houve quem levou uma boia de piscina no formato de jacaré para chamar a atenção, teve outro que colocou ao redor do rosto uma cartolina para imitar figurinha do álbum da Copa, ou torcedor disposto a se vestir de Fuleco, o tatu-bola mascote da Copa do Mundo de 2014.

Desta vez, o Canarinho não teve problemas com a segurança e pôde participar da festa. Em Moscou, onde o Brasil enfrentou a Sérvia, semana passada, a mascote foi retirada por alguns instantes da porta do hotel para deixar o espaço livre para os jogadores. Em Kazan, não houve nenhuma restrição e o bicho amarelo de semblante enfezado dançou, pulou e, com gestos, regeu a cantoria da torcida à espera da equipe.

O ônibus chegou recebido com festa e recepcionado pelo Canarinho. O preparador de goleiros Taffarel foi um dos primeiros a descer. Logo na sequência, membros da comissão técnica de Tite fizeram vídeos da recepção do público. Os jogadores desceram depois, acenaram para os brasileiros e, enquanto subiam as escadas do hotel, ouviram os nomes serem gritados um a um, com a devida participação do Canarinho com danças, palmas e poses.

 

A polícia russa também se rendeu à agitação. Alguns oficiais que faziam a segurança da área gravaram vídeos nos celulares da festa da torcida e pediram para tirar fotos com torcedores. Em Kazan, a seleção brasileira faz o último treino na tarde desta quinta-feira, no estádio Central, e nesta sexta encara a Bélgica pelas quartas de final da Copa do Mundo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.