Regularidade, o segredo santista

A conquista do Campeonato Brasileiro de 2004 pelo Santos faz justiça ao time mais regular da competição. Apesar dos problemas que enfrentou durante o torneio, o time santista foi o que esteve por mais tempo na liderança - 20 rodadas - ou entre os dois primeiros - 31 jogos. "Tirar a equipe das últimas posições e nos reabilitarmos da perda do Robinho foram as maiores dificuldades que enfrentamos", afirmou o técnico Vanderlei Luxemburgo.Além da superação, a principal virtude da equipe foi conseguir administrar corretamente seus resultados. Mesmo quando foi ultrapassado na classificação pelo Atlético-PR, por duas vezes, não se distanciou muito do primeiro lugar e conseguiu a recuperação.O início, porém, foi complicado. Ainda com Emerson Leão como treinador e em meio à disputa da Copa Libertadores, o time do Santos tropeçou nas primeiras rodadas, quando sofreu quatro derrotas em seis partidas e chegou a cair para o 20º lugar, depois de ser goleado por 4 a 0 pelo Palmeiras, em plena Vila Belmiro - no mesmo dia em que Vanderlei Luxemburgo assumiu o comando da equipe. "Mesmo quando estávamos em situação ruim, não deixamos de acreditar no título", disse o lateral Paulo César. "Fomos premiados por nossa aplicação."A arrancada para a disputa do título começou numa difícil vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians, no Pacaembu. Desde então, os santistas não pararam de subir. Outros triunfos sobre rivais paulistas foram fundamentais para a campanha: 2 a 1 sobre São Paulo e Palmeiras, ambos fora de casa.Comprovando a força do seu ataque, que chegou à marca de 103 gols, os resultados elásticos foram freqüentes na campanha do Santos: por dez vezes o time marcou quatro ou mais gols em seus adversários. Quem mais sofreu foi a Ponte Preta, que levou oito gols - 4 a 0 no primeiro turno e 4 a 0 no segundo. O Paysandu sofreu 7 gols. Grêmio, Vitória e Criciúma, 6 cada.O Santos também protagonizou algumas das partidas mais emocionantes do campeonato. Em Goiânia, o duelo contra o Goiás foi cheio de alternativas e terminou empatado por 3 a 3. Em Belo Horizonte, os santistas abriram 4 a 1 sobre o Cruzeiro, com a impressão de que iriam golear, mas permitiram a igualdade do rival.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.