Relator do Profut aciona MPF para anular assembleia da CBF

Reunião teria sido feita sem nenhum representante dos clubes das séries A e B

Almir Leite, Estadao Conteudo

01 de abril de 2017 | 15h26

O deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ) acionou o Ministério Público Federal (MPF), no Rio de Janeiro, para pedir a anulação da assembleia da CBF que realizou manobra estatutária e acabou tirando o poder dos clubes e ampliando o das federação estaduais nas eleições da entidade, na semana passada.

Relator do Profut, o programa de refinanciamento das dívidas fiscais dos clubes com a União que traz embutido medidas de responsabilidade a ser cumpridas, Leite argumenta que por força da Lei Pelé, em seu artigo 22-A, "obrigatoriamente todos os clubes de futebol das Séries A e B deveriam ter participado desta reunião, mas nenhuma agremiação foi convocada".

Nenhum clube foi convidado, ou convocado, para a assembleia, realizada na tarde do dia 23, horas antes de jogo em que o Brasil fez 4 a 1 no Uruguai em Montevidéu. Leite requer a anulação da assembleia e, por consequência, a manobra que deu peso 3 às federações, num total de 81 votos, e 2 para clubes da Série A e 1 para os da Série B - que assim só poderão somar no máximo 60 pontos.

A CBF argumenta que a lei não deixa claro a obrigatoriedade da presença dos clubes nas assembleias e que a nova divisão dá voz a centenas de clubes menores.

O MPF ainda não se pronunciou sobre possível abertura de inquérito para tratar o caso.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.