Relator tenta último esforço na CPI

O relator da CPI da CBF/Nike, deputado Silvio Torres (PSDB-SP), entregará nesta quarta-feira o relatório final da comissão ao procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, e ao presidente da Câmara, Aécio Neves (PMDB-MG). Torres continua lutando para provar que a CPI não terminou em pizza. Ainda esta semana, ele espera entregar o documento ao secretário da Receita Federal, Everardo Maciel, ao superintendente da Polícia Federal, Agílio Monteiro, e a representantes do Ministério Público, no Rio de Janeiro. O deputado disse não ter recebido resposta do ministro Carlos Melles (Esportes), a quem fez um pedido de intervenção na CBF.Uma das preocupações do deputado no encontro com Aécio Neves é "explicar oficialmente o que ocorreu" quinta-feira, na votação do relatório final da CPI, que acabou não acontecendo, e mostrar que os trabalhos não consumiram recursos e oito meses de trabalho inutilmente. "O dinheiro da Câmara foi bem empregado", sustenta Torres. O deputado, no entanto, disse não saber quanto foi gasto.Além do documento produzido por Torres, foi apresentado um outro relatório, de autoria dos deputados ligados à "Bancada da Bola" e liderados por Eurico Miranda (PPB-RJ). O relatório de Torres apontou 13 irregularidades na administração de Ricardo Teixeira à frente da CBF e pediu o indiciamento de 33 pessoas, entre jogadores, dirigentes de clubes e federações e agentes de futebol.Audiência - Nesta terça-feira, o presidente da CPI do Futebol, senador Álvaro Dias (PSDB-PR), promoveu em São Paulo uma audiência pública com a presença de personalidades do esporte para "colher sugestões visando a um novo modelo eleitoral e de gestão administrativa para o esporte." Os ex-jogadores Sócrates e Wladimir participaram do evento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.