Relatores se irritam com reportagem

O presidente e o relator da CPI da CBF/Nike, deputados Aldo Rebelo (PcdoB-SP) e Silvio Torres (PSDB-SP), reagiram com irritação à reportagem sobre os gastos da comissão e a falta de resultado nos trabalhos, que nem mesmo dispõe de um relatório conclusivo (veja notícia relacionada). Rebelo e Torres defendem sobretudo a viagem que eles e quatro colegas fizeram à Europa, cada um deles recebendo US$ 1,5 mil (R$3,48 mil) para pagar hotel e alimentação nos seis dias que lá estiveram. A maior parte dos dados que a CPI "apurou" sobre tráfico de menores já tinham sido citado em reportagens publicadas há dois anos pelo jornal "O Estado de Minas".Já a maior parte das denúncias sobre passaportes falsos, que levou a Fifa a tomar uma posição sobre o assunto, partiu de times do futebol francês e espanhol que se sentiram prejudicados pelos adversários.Torres disse que não aceitava a crítica de ter ido a Europa sem necessidade. "Se eu quisesse fazer turismo, entraria nessas viagens que a Câmara faz e não dão em coisa nenhuma", alegou. "Fomos recebidos por membros da Fifa, que vão incluir nosso relatório no Congresso que vai realizar em Julho em Buenos Aires". Aldo Rebelo se defendeu atacando. "Não vou falar da matéria", rebateu. "Você (a repórter) é o verme do jornalismo, é o José Lourenço do jornalismo". O deputado desligou o telefone sem responder porque não adotou providências para emendar o motivo de criação da CPI. Sem isso, a investigação sobre o contrato da CBF com a Nike, que não chegou a lugar nenhum, não tem valor legal.Embora tendo excelentes parlamentares entre seus membros, o balanço final da CPI é negativo, até porque deu em "pizza". Já ao presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, a comissão deu a chance de medir seu poder de força na Câmara por intermédio de deputados que são seus aliados. Os integrantes da chamada "bancada da bola" foram de total fidelidade não só a Teixeira, mas também aos presidentes de federações e aos empresários Juan Figer e Hélio Viana. Eles fizeram um substitutivo, que também não foi votado, que derruba o pedido indiciamento dessas pessoas, feito no relatório de Torres.

Agencia Estado,

25 de junho de 2001 | 19h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.