Relatório alternativo poupa acusados

A bancada da bola, formada por deputados ligados a clubes e federações, apresentou um ?relatório substituto?, ou ?alternativo? ao relatório do deputado Silvio Torres (PSDB-SP), relator dos trabalhos da CPI da CBF/Nike, excluindo todos os 33 indiciamentos pedidos por Torres, entre eles, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) Ricardo Teixeira e 21 dirigentes de federações, agentes de futebol como Juan Figer e o sócio de Pelé, Hélio Viana.Apresentado pelo deputado José Rocha (PFL-BA), e ?aprovado? por 17 dos 25 deputados da CPI da CBF/Nike, depois que o presidente da comissão, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP) já havia encerrado os trabalhos, ao contrário do que afirma o parlamentar baiano, não pede o indiciamento de empresários do futebol brasileiro. José Rocha apenas ?recomenda às autoridades diplomáticas que prestem apoio aos jogadores brasileiros envolvidos com passaportes falsos.? Sugere ao Ministério Público que investigue ?a ocorrência de crime contra a ordem legal brasileira nas transações de jogadores brasileiros para o exterior, com passaportes falsificados?, Além de pedir à Receita Federal e ao Banco Central que investiguem ?ocorrências de crime contra o Sistema Financeiro do Brasil de evasão de divisas, nas transações dos jogadores brasileiros para clubes estrangeiros, envolvidos com passaportes falsos?.No capítulo dedicado à falsificação de passaportes, a bancada da bola, representada por José Rocha, relaciona nove pessoas que ?devem ser investigadas?. São elas, Antônio de Oliveira, o Careca: Edmar Bernardes, o ex-jogador Edmar; Afonso Martins Costa Filho, o Jimmy Martins; Roberto Gambaster, empresário que atuava no Maranhão; Juan Figer, agente de futebol responsável pela ?Triangulação Uruguai?, envolvendo alguns clubes brasileiros, como o Atlético Paranaense e dois clubes uruguaios, Rentistas e Central Espanhol; José Mário Pavan, presidente do União São João, de Araras (SP); Antônio José Cassas de Lima, ex-presidente do Conselho Deliberativo do Moto Clube (MA); Clóvis Dias, dirigente do Americano de Bacabal (MA); e o ex-zagueiro da Seleção Brasileira, Edino Nazareth Filho, o Edinho.No mesmo ?relatório substituto?, José Rocha também tratou da transação irregular de adolescentes no futebol, para o exterior. Para ele, ?estados como o Maranhão e o Tocantins estão entre os mais visados?. O ?relatório substituto? apenas relaciona Careca, Edmar, Dedé (André Augusto Leone), Jimmy Martins, Tiroga (Eliseu Oliveira) e José Mário Pavan como tendo prestado depoimentos à CPI e que intermediaram a ?ida de jogadores para fora do país?. O relatório conclui a inoperância das entidades que comandam o futebol diante das denúncias de adulteração no registro de jogadores. ?Embora a CBF e algumas federações venham fazendo discursos condenando a utilização dos "gatos" (jogadores com data de nascimento alterada) no futebol, não apresentam, na prática, atitudes firmes contra esse tipo de irregularidades?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.