Relatório do juiz não ajuda Corinthians

A julgar pelas últimas decisões do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), em casos idênticos, o Corinthians vai perder pelo menos um mando de campo e será obrigado a atuar pelo Campeonato Brasileiro sem a presença de seus torcedores. O presidente da instituição, Luiz Zveiter, informou que aguarda amanhã a chegada da súmula para encaminhá-la à procuradoria, que decidirá se denunciará o clube paulista. Mas, o documento da partida enviado hoje à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não foi favorável ao Alvinegro e o árbitro Wilson Luiz Seneme (SP) relatou os incidentes ocorridos domingo, no Estádio do Pacaembu. O presidente do STJD classificou de "complicada" a situação corintiana por causa das invasões de campo e a confusão armada por seus torcedores no estádio, durante a goleada sofrida para o São Paulo, por 5 a 1. O magistrado informou que não acompanhou a partida, mas viu os lances pela televisão. Na súmula, disponível no site da CBF (www.cbfnews.com.br), os incidentes são transcritos por Seneme: "a partida foi interrompida devido a invasão de campo de jogo de torcedores oriundos das arquibancadas em que se encontravam os torcedores do S.C. Corinthians". Ele fez a ressalva de que os invasores foram detidos pelos policiais, o que pode ser um argumento da defesa do clube para tentar atenuar a provável pena. Em seguida, o árbitro ainda citou o arremesso de fogos de artifício no gramado. "Também foram lançados morteiros das arquibancadas citadas acima, que caíram atrás do gol do S.C. Corinthians". Diante dos fatos relatados por Seneme, o STJD dificilmente deixará de punir o Corinthians. Em julgamentos recentes, por exemplo, Santos, Botafogo e Vasco foram condenados ou por mau comportamento dos torcedores ou por arremessos de objetos em campo. De acordo com o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), o Corinthians, se denunciado e apenado, poderá perder o mando de campo por no mínimo uma partida e, no máximo, três. O clube ainda pode ser condenado a pagar um multa entre R$ 50 mil e R$ 500 mil. Zveiter não quis confirmar se o Corinthians será ou não denunciado e posteriormente condenado, mas observou que atuar com os portões fechados poderia até ajudar a equipe a se recuperar no Brasileiro. Para o presidente do STJD, sem a presença de torcedores, a pressão sobre os atletas seria menor. Recentemente, o time paulista jogou em um estádio vazio e foi derrotado, por 3 a 1, pelo Botafogo, que cumpriu uma suspensão, pela segunda rodada do Nacional, no estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, zona norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.