Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Relatório é aprovado por unanimidade

Por 12 votos a zero, foi aprovado nesta quinta-feira o relatório final da CPI do Futebol - que pede o indiciamento de 17 pessoas, a maioria, dirigentes de clubes ou federações, e do presidente da CBF, Ricardo Teixeira. De autoria do senador Geraldo Althoff (PFL-SC) o relatório acusa alguns dos principais comandantes do futebol brasileiro de terem se enriquecido à custa de desvios de recursos de clubes e federações. O relatório será encaminhado agora ao Ministério Público e o procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, já antecipou que o processo terá prosseguimento. Segundo ele, eventuais culpados serão punidos.Favorável ao relatório, o senador Antero Paes de Barros (PSDB-MS) pediu a renúncia de Teixeira e admitiu que a CPI pode não ter levantado todos os problemas do futebol brasileiro. ?O futebol não é só este chiqueirinho que a CPI mostrou. Pode haver muito mais podridão?, disse ele.A surpresa da votação foi a posição do senador Gilvan Borges (PMDB-AP). Ele pretendia apresentar um relatório alternativo, mas, isolado, acabou desistindo. Borges votou a favor ?com restrições? e foi o único a criticar a forma como a CPI foi conduzida. Segundo ele, as investigações foram feitas de maneira ?facciosa e tendenciosa?. Borges comparou a comissão parlamentar à inquisição. De acordo com ele, os julgamentos foram feitos com base em ?indícios estapafúrdios?. Gilvan Borges disse ainda que o julgamento feito na comissão é pior que o do Ministério Público ?já que na Justiça, o amplo direito de defesa certamente será respeitado?.O senador Sebastião Rocha (PDT-AP) discordou de Borges. Disse que votaria a favor em razão da ?enorme quantidade de ilícitos relacionados?. Segundo ele, o relatório foi ?sólido, firme e convincente?. Para o senador Geraldo Cândido (PT-RJ) o relatório de Althoff traz provas concretas de desvio de dinheiro, sonegação fiscal, falsidade ideológica, fraude e outros crimes. ?Não existe coitadinho aqui?, disse ele, referindo-se aos citados no relatório. ?O Edmundo (Santos Silva, presidente do Flamengo) chorou na CPI, mas chorou lágrimas de crocodilo?, disse. Além de Ricardo Teixeira, o documento pede ao Ministério Público o indiciamento dos presidentes de federações Eduardo José Farah (São Paulo), Eduardo Viana (Rio) e Elmer Guilherme Ferreira (Minas). A lista inclui ainda: o deputado e presidente do Vasco, Eurico Miranda (PPB-RJ); o ex-presidente do Santos Samir Abdul-Hak; o técnico do Corinthians, Vanderlei Luxemburgo; o presidente do Flamengo, Edmundo Santos Silva; o ex-presidente do Flamengo, Dunshee de Abranches, os ex-dirigentes vascaínos Antônio Soares Calçada, Paulo Reis e Mário Cupello.Na relação ainda aparecem os dirigentes da Federação Paulista, Pedro Yves Simão e José Paulo Fernandes; os dirigentes da CBF José Salim e Marco Antônio Teixeira; e o empresário Reinaldo Pitta. O relatório da CPI, segundo Lindberg Cury (PFL-DF), foi a ?maior contribuição que Senado poderia dar ao futebol brasileiro?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.