Werther Santana/Estadão - 26/07/2013
Werther Santana/Estadão - 26/07/2013

Remanescentes do rebaixamento do Palmeiras projetam redenção com acesso

Jogadores deixam de lado propostas de transferências para devolver time à Série A

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

13 de setembro de 2013 | 08h00

SÃO PAULO - Os remanescentes do rebaixamento do Palmeiras no ano passado não veem a hora de chegar a uma espécie de redenção. Jogadores como Henrique, Márcio Araújo e Wesley, por exemplo, chegaram a recusar propostas de outros clubes para continuar no projeto de tirar o clube da Série B.

Henrique chegou a ser sondado pelo Cruzeiro, Márcio Araújo teve o nome cogitado como peça de troca para a vinda do uruguaio Eguren e Wesley esteve perto de acerter com o Atlético-MG, atual campeão da Libertadores. “Sempre onde passei eu ganhei alguma coisa. Fiquei feliz pelo interesse do Atlético-MG em me contratar, mas quero dar continuidade ao meu trabalho aqui no Palmeiras” disse o volante, que em 2012 chegou a ficar seis meses sem ser relacionado após passar por uma cirurgia no joelho direito.

Agora, todos esses jogadores vivem o conforto da liderança folgada da Série B, porém, por outro lado, tentam lidar com a euforia da torcida. "O futebol é dinâmico e muda muito rápido. Toda terça, sexta e sábado estamos à prova. Temos que estar tranquilos e cientes de tudo o que podemos fazer para conseguir o acesso antes do fim da competição", afirmou Wesley.

O volante também fez questão de afirmar que o time precisa continuar atento e não relaxar, pois segundo ele todo adversário joga com mais empenho quando tem pela frente o Palmeiras, o favorito da Série B.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.