Remédio de Dodô estaria contaminado com substância ilegal

Botafogo pede análise de laboratório e policiais fecham farmácia responsável

Márcia Vieira

14 de julho de 2007 | 13h12

O Botafogo conseguiu uma arma poderosa na defesa do atacante Dodô, pego no exame antidoping realizado após a goleada por 4 a 0 sobre o Vasco, no dia 14 de junho, no Estádio do Maracanã. Segundo análise do laboratório da USP, feita a pedido do clube carioca, as cápsulas de um remédio que Dodô usava, feito na Pharmacy, fármácia de manipulação, estavam contaminadas com a substância proibida fepromporex, encontrada em remédios para emagrecer. A 14ª DP fechou a farmácia. O laudo será usado na defesa do atacante no julgamento do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) no final deste mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.