Renaldo esgotou suas chances no Palmeiras

A contratação de Renaldo foi uma das maiores decepções da diretoria palmeirense nos últimos tempos. Vice-artilheiro do Brasileirão de 2003, com 30 gols, ele foi contratado para ser o substituto de Vágner Love, negociado em junho com o CSKA, da Rússia. Mas, até agora, seu rendimento tem sido um fiasco. Contra o Juventude, no próximo domingo, voltará a ser reserva.O que não é novidade para ele. Em 11 partidas pelo Palmeiras, o veterano atacante, de 34 anos, foi titular em apenas quatro. Não fez um gol sequer. E dificilmente voltará a ter chances com o técnico Estevam Soares."Eu estava em débito com o Renaldo. Fazia tempo que eu não dava uma oportunidade para ele sair jogando", disse Estevam, justificando a surpreendente escalação do atacante no empate (1 a 1) com o Paraná, quarta-feira passada.E o que o técnico achou da atuação de Renaldo? "Não vou nem falar nada, que é para preservar o atleta", disse Estevam.Nem precisava falar. A insatisfação de Estevam com o rendimento do atacante está na cara. Quando Renaldo chegou ao clube, em julho, o técnico o cobriu de elogios. Disse que ele era "uma estrela" e que fora contratado para ser titular. Três semanas e três atuações fraquíssimas depois, Estevam mandou Renaldo para o banco de reservas, de onde ele só saiu nesse último jogo contra o Paraná. Antes, porém, o atacante ainda passou um período afastado, para uma "reciclagem física", como disse o técnico.A decepção dos palmeirenses com Renaldo fica ainda maior em dia de pagamento. Ele tem um dos maiores salários do elenco (R$ 70 mil), quase quatro vezes mais do que ganha Osmar, que fez apenas uma partida a mais que Renaldo (12 contra 11), mas já marcou 10 gols. O contrato de Renaldo com o Palmeiras expira no final do ano e não deverá ser renovado. Contra o Juventude, o ataque deverá ser formado por Osmar e Pedrinho, que atuou como meia contra o Paraná porque Elson estava com uma pequena inflamação no joelho direito - mas, recuperado da lesão, ele é nome certo no jogo em Caxias do Sul. Outro que deve retornar ao time é o volante Magrão, que está com a seleção brasileira. Com isso, Correia volta para o banco de reservas. Nesta segunda-feira à tarde, após um fim de semana de folga, o time se reapresenta para trabalhar no Centro de Treinamentos na Barra Funda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.