Renata comemora ?vitória? na Justiça

Acusados de crime de sonegação fiscal entre os anos de 1993 e 1997, o técnico do Corinthians, Wanderley Luxemburgo, e a estudante de direito Renata Carla Moura Alves compareceram, nesta terça-feira, na Justiça Federal, no Centro, durante os depoimentos de suas testemunhas de defesa. Após quatro horas de audiência, Renata saiu eufórica, comemorando o que julgou ser mais uma vitória em sua luta contra o treinador. Luxemburgo não quis comentar o novo encontro.Segundo Renata, as declarações feitas pelas quatro testemunhas, apresentadas por Luxemburgo, só serviram para comprovar que ela foi usada pelo treinador. "Estou com a verdade e quem precisa provar a origem de um patrimônio de R$ 19 milhões é ele." A estudante ainda se disse surpresa com a cordialidade com a qual Luxemburgo a tratou.O advogado de Luxemburgo, Michel Assef, contestou a euforia de Renata ao lembrar que, neste processo, ela e o treinador são réus. "Se a justiça for feita, ela vai ser condenada. Não sei o que está comemorando", afirmou ao saber dos festejos da estudante.Agora, o processo será encaminhado para o Ministério Público Federal (MPF) para que as defesas de ambos possam preparar as alegações finais. Pela lei nº 8137, de 12/1990 - que rege os crimes contra a ordem tributária -, está prevista pena de 2 a 5 anos para quem "omitir informação ou prestar declaração falsa às autoridades fazendárias." A estimativa para a sonegação de impostos de Luxemburgo chega a R$ 2,8 milhões, durante cinco anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.