Renato Augusto comanda vitória e Corinthians avança

Time tem início arrasador, faz 3 a 1 e garante vaga nas quartas. Próximo rival será decidido entre Atlético-MG e Palmeiras

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

04 Setembro 2014 | 00h06

O Corinthians está nas quartas de final da Copa do Brasil e aguarda o vencedor de Atlético-MG e Palmeiras. A classificação foi mais fácil do que se imaginava. Não houve sofrimento e nem drama na primeira decisão no Itaquerão.
Um cenário que parecia complicado se desfez assim que o jogo começou. Aos 3 minutos, Renato Augusto marcou o primeiro gol da vitória por 3 a 1 que despachou o Bragantino.

Tudo conspirava contra o time de Mano Menezes. Com cinco desfalques, era preciso se recuperar da derrota por 1 a 0 da semana passada em Cuiabá. Esperava-se um Bragantino fechado, à espera do bote.

O gol de Renato Augusto desmoronou qualquer tática de PC Gusmão. O Corinthians marcou mais dois em menos de 20 minutos de jogo, dizimando qualquer possibilidade de decisão por pênaltis.

No primeiro tempo, em vez de 3 gols, o Corinthians poderia ter feito 5 porque atacou com a vontade de os times que jogam pressionados. O esquema de Mano Menezes foi fundamental para alcançar o resultado. O técnico percebeu que nos últimos jogos sua equipe passou a jogar melhor depois que ele mexia no time e colocava três atacantes, abrindo mão de um meia armador.

Foi essencial a estratégia de abrir o jogo e atacar o Bragantino pelas pontas, confundindo a marcação com a movimentação de Romarinho, Romero e Luciano, um trio de atacantes jovem e veloz.

A vitória também se deveu a grande atuação de Renato Augusto. Não só pelo gol, mas pela presença dentro de campo. Ditou o ritmo do meio de campo, ocupou bem o lado direito e foi o homem da bola parada.

Foi, sem sombra de dúvida, sua melhor partida pelo Corinthians neste ano. A atuação reforça sua ascensão. Técnica, Renato Augusto tem, como mostrou, entre outros lances do jogo, o primeiro gol.

Renato Augusto concluiu com precisão, de primeira, um cruzamento de Romarinho, numa jogada que valeu a persistência do volante Bruno Henrique, o substituto de Elias.

Em duas cobranças de escanteio, também feitas por Renato Augusto, o Corinthians ampliou, aos 14 e aos 19, com Ralf e Felipe, o zagueiro que será titular até Gil retornar da seleção.

O ímpeto do Corinthians só diminuiu no segundo tempo. O Bragantino buscou um gol para ensaiar uma reação, mas ela veio tardiamente, aos 44 do segundo tempo, quando o zagueiro Guilherme Mattis desviou, de cabeça, e descontou. 

Não houve tempo para o time do interior iniciar uma pressão capaz de buscar um segundo gol que daria a classificação.

O Bragantino, no final das contas, foi até longe demais. Na fase anterior, havia eliminado o favorito São Paulo. 

No domingo, o Corinthians, que também jogará desfalcado, enfrenta o Criciúma fora de casa pelo Campeonato Brasileiro. E para ainda sonhar com título, é preciso voltar a vencer depois de dois resultados ruins, contra Grêmio e Fluminense.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 3 X 1 BRAGANTINO

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Felipe, Anderson Martins e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique (Petros) e Renato Augusto (Danilo); Luciano, Romarinho e Angel Romero (Jadson). Técnico - Mano Menezes.

BRAGANTINO - Marcelo Henrique; Samuel Santos, Guilherme Morais, Leonardo e Bruno Recife; Geandro, Marcos Paulo (Romário), Sandro e Luisinho (Léo Jaime); Lincom (Mota) e Cesinha. Técnico - PC Gusmão.

GOLS - Renato Augusto, aos 3, Ralf, aos 15, e Felipe, aos 19 minutos do primeiro tempo. Guilherme Morais, aos 45 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Vinícius Furlan (SP).

CARTÕES AMARELOS - Fábio Santos (Corinthians); Geandro, Mota, Marcos Paulo e Romário (Bragantino).

RENDA - R$ 1.497.128,00.

PÚBLICO - 27.817 pagantes.

LOCAL - Itaquerão, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.