Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Renato Augusto e Lucas Lima ditam ritmo do clássico no Itaquerão

Principais jogadas de Corinthians e Santos passam pelos meias

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2015 | 08h30

Renato Augusto e Lucas Lima travam neste domingo, no Itaquerão, o primeiro capítulo de uma disputa que deve se estender para a seleção brasileira. Convocados para os confrontos das Eliminatórias contra Chile e Venezuela, ambos brigarão por uma vaga no meio de campo do time de Dunga.

O jogo de Corinthians e Santos passa necessariamente por Renato Augusto e Lucas Lima, respectivamente. Os dois comandam o meio de campo de suas equipes e têm a responsabilidade de armar a maioria das jogadas de ataque.

De volta à seleção brasileira depois de quatro anos fora, o meia do Corinthians vive o melhor momento da carreira. Livre das lesões, ele passou a aguentar a jogar 90 minutos sem cair de produção e se transformou em um dos principais destaques da boa campanha que levou o Corinthians à liderança do Campeonato Brasileiro – o time chegou a ficar 17 rodadas sem ser derrotado.

O entrosamento com Elias (também convocado para a seleção) é outro fator que tem ajudado o meia. A sincronia das jogadas articuladas pelos dois tem funcionado muito bem.

“Renato Augusto é o meia que mais marca e eu sou volante que mais ataca. A gente se completa”, disse Elias.

O poder de marcação, inclusive, é uma das vantagens que Renato leva na disputa com o Lucas Lima. Justamente por muitas vezes ficar próximo dos defensores, quando avança para o ataque costuma pegar os seus marcadores desprevenidos.

Os números comprovam que o meia vive grande fase. Neste domingo, o meia vai fazer o seu 44.º jogo na temporada, mesmo número de partidas do ano passado, quando atingiu a melhor marca da sua carreira.

Líder da equipe dentro e fora de campo, Renato Augusto também foi escolhido para fazer a “ponte” entre os jogadores e a diretoria. É ele, por exemplo, que participa das negociações sobre salários atrasados.

Novidade na lista de Dunga para os amistosos contra Estados Unidos e Costa Rica, no início do mês, Lucas Lima está de volta à seleção após deixar boa impressão. Por isso, está um passo à frente de Renato Augusto na avaliação da comissão técnica da seleção.

Após optar por ficar na Vila Belmiro e não ir para a Europa,  Lucas Lima aprimorou o seu jogo. Se o corintiano destaca-se pelo vigor físico e pela faixa de atuação no campo (da defesa ao ataque), o santista é um jogador mais técnico e “cerebral”. O meia costuma flutuar com extrema facilidade no meio de campo. Talentoso, distribui toques rápidos e passes precisos, que desmontam as defesas.

Foi assim, por exemplo, no primeiro jogo com o Corinthians, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, no mês passado. Os gols de Gabriel e Marquinhos Gabriel da vitória santista por 2 a 0 saíram após passes açucarados do meia.

Três dias depois de voltar da seleção, Lucas Lima esteve em campo contra a Ponte Preta no domingo passado. Visivelmente cansado, rendeu abaixo do esperado e foi facilmente anulado pelo adversário. Na quarta-feira, diante do Atlético-MG estava melhor fisicamente e liderou a equipe na goleada por 4 a 0.

Neste domingo, a expectativa é que o jogador repita a grande atuação da última rodada. Lucas Lima costuma se dar bem contra o Corinthians e, assim, como Renato Augusto, se vê no melhor momento da carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.