Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Renato Augusto minimiza efeitos da altitude antes de estreia do Corinthians

Oruro é um dos locais mais altos a receber jogos da competição, com 3.735 metros acima do nível do mar

VITOR MARQUES, Agência Estado

18 de fevereiro de 2013 | 12h09

SÃO PAULO - Prestes a disputar sua terceira Copa Libertadores, Renato Augusto não se preocupa com a altitude da cidade boliviana de Oruro, onde o Corinthians fará sua estreia, nesta quarta-feira. Oruro é um dos locais mais altos a receber jogos da competição sul-americana, com 3.735 metros acima do nível do mar.

"Será minha terceira Libertadores. Joguei duas pelo Flamengo e já tive partida na altitude", afirmou o meia, que já enfrentou o Real Potosí (4.070 metros), na mesma Bolívia. "Tive uma experiência igual em Potosí e as condições mudam mesmo, mas são as dificuldades que a gente tem de estar preparado".

Renato Augusto lembra que, na ocasião, acabou levando um susto. "Acabei tomando uma bolada no rosto e ficou mais difícil para respirar", declarou o jogador, confiante em um bom resultado. "É a competição que é o sonho de torcedor, dos jogadores. A gente sabe que o início é complicado. Tem altitude, campo ruim, mas faz parte do campeonato".

Às vésperas da estreia do Corinthians na Libertadores, Renato Augusto espera ganhar nova chance na equipe depois de entrar no segundo tempo do clássico, no domingo. "Tenho respeito pelos jogadores que conquistaram o título, mas vim buscar meu espaço. Quando tiver minha oportunidade, tenho certeza que estarei pronto".

O meia acredita estar no mesmo nível dos concorrentes, como Danilo, Douglas e Jorge Henrique. "Acho que no futebol, há muito tempo, não existe titular. Pela sequência de jogos, existe um rodízio muito grande. O time que inicia a temporada quase nunca termina", disse. "Acredito que o nível está igualado, todos estão vivendo um bom momento".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansRenato Augusto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.