Renato diz que Flu não será rebaixado

Renato Gaúcho foi demitido do Fluminense em julho porque a equipe estava ?mal? no Campeonato Brasileiro: ocupava a 12ª posição. Agora, na penúltima colocação, bem próximo do rebaixamento, o Tricolor decidiu contratá-lo novamente para substituir Joel Santana. Três meses atrás, a diretoria do clube justificou sua saída ao alegar que a equipe realizava campanha irregular e corria risco de não conseguir uma vaga na Taça Libertadores da América de 2004, ou seja, não terminar o Brasileiro entre os quatro ou cinco melhores. ?Voltei em busca de um título, além de ver o Fluminense livre da Segunda Divisão. Juntos (diretoria, torcida, atletas e comissão técnica) vamos comemorar muito esse título, que é diferente, sem volta olímpica", disse Renato Gaúcho, em entrevista, nesta quinta-feira à tarde, após treino nas Laranjeiras. Ele foi bem recebido pelos jogadores e torcedores. ?A situação não é boa, mas também não é desesperadora. Vamos tirar o Fluminense dessa situação incômoda." A derrota para a Ponte Preta, por 3 a 0, em 10 de julho, determinou a dispensa de Renato Gaúcho. Na oportunidade, ele fez críticas públicas à direção do clube. Em 60 jogos, desde setembro de 2002, obtivera 27 vitórias, 13 empates e 20 derrotas. Conseguiu levar o Tricolor à final do último Campeonato Carioca, vencido pelo Vasco, à semifinal do Brasileiro de 2002 e à terceira fase da Copa do Brasil deste ano. ?Nosso objetivo, o de, no mínimo, estar entre os primeiros para garantir uma vaga na Libertadores, está ficando distante. Tivemos de tomar uma atitude", disse, na ocasião, o presidente do Tricolor, David Fischel. Nesta quinta-feira, o dirigente adaptou o discurso. Sob a ameaça do descenso, demitiu Joel Santana horas depois do empate com o São Paulo e conseqüente eliminação na Copa Sul-Americana, e anunciou a nova contratação. ?Tivemos de tomar uma providência para evitar o pior. Temos certeza que o Renato Gaúcho vai dar uma nova motivação à equipe." Ainda no vestiário do Maracanã, no início da madrugada desta quinta-feira, Fischel deixava claro que Joel não continuaria. ?Vamos fazer mudanças, mas não com relação ao time." Joel Santana estava à frente do Fluminense havia 18 jogos e obteve somente quatro vitórias, com cinco empates e nove derrotas. Ele desejou sorte ao sucessor e adotou postura otimista quanto ao futuro do Tricolor. ?O Fluminense não vai ser rebaixado, porque está jogando do jeito que a gente quer. É só dar continuidade ao trabalho que os resultados vão surgir." O treinador respondeu às críticas que vinha sofrendo, principalmente pela maneira defensiva com que o Fluminense atuou nos últimos jogos. ?Primeiro, eu quis tornar o time competitivo. Depois, fui soltando a equipe e hoje a defesa já está atuando do jeito que eu queria." Joel Santana lamentou as dificuldades no ataque do Tricolor, já que foram apenas 17 gols marcados em 18 partidas. Ele creditou o baixo rendimento do setor à ausência do principal atacante. ?Infelizmente, nesse tempo todo, nós quase não pudemos aproveitar o Romário." Renato Gaúcho já vai comandar o time na partida deste sábado, contra o Atlético-PR, em Curitiba. O acerto financeiro foi rápido, uma vez que o Fluminense continua pagando seu salário, desde a demissão em julho, para evitar uma ação na Justiça. O contrato ainda vigente vigora até dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.