Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Renato Gaúcho admite má atuação do Grêmio: 'Não fizemos nada para ganhar'

Treinador novamente poupou alguns atletas visando o duelo pelas quartas de final da Libertadores

O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2017 | 09h31

O técnico Renato Gaúcho reconheceu na noite de domingo que o Grêmio não fez por merecer a vitória sobre a Chapecoense, na Arena Grêmio, em jogo válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para o treinador, a derrota para o time catarinense por 1 a 0 foi consequência da falta de criação da equipe gremista, que entrou em campo com uma formação mista. 

"Não fizemos nada para ganhar o jogo. Não jogamos bem. Tivemos o controle do jogo, a posse de bola, mas isso não quer dizer nada", avaliou o treinador. "Nós jogamos muito pouco. Faltou criação, tomamos um gol com menos de um minuto no segundo tempo e isso dificultou ainda mais", admitiu.

O treinador escalou uma equipe mista neste domingo por causa da proximidade do jogo decisivo com o Botafogo, na quarta. Os dois times vão brigar por uma vaga na semifinal da Copa Libertadores, em Porto Alegre - na ida, no Rio, houve empate sem gols. 

E, já projetando esta grande partida, Renato manteve a dúvida sobre a escalação do zagueiro Pedro Geromel e do atacante Luan. Ambos ainda se recuperam de lesão e não estão garantidos no importante confronto.

"Podem ter certeza que jamais vou colocar um jogador em campo sabendo que pode agravar aquela lesão e perdê-lo aos 5 ou 10 minutos de jogo. Não adianta botar o jogador e perder para o restante do ano. Qualquer jogador que entrar em campo pode não estar nas melhores condições físicas e técnicas, mas não de lesão. Se tiver chance de sentir a lesão, não vai entrar", disse o treinador.

O tropeço do Grêmio no Brasileirão afastou a equipe ainda mais do líder Corinthians. O time paulista voltou a apresentar dez pontos de vantagem diante do rival gaúcho na tabela (53 a 43).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.