Renato Gaúcho elogia pegada da 'garotada' em empate do time reserva do Grêmio

Técnico diz não ter 'medo nenhum de colocar um time diferente'

Estadão Conteúdo

30 Outubro 2016 | 10h20

Apesar da boa vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro em Belo Horizonte, no jogo de ida, a semifinal da Copa do Brasil segue sendo prioridade para o Grêmio. Pensando na partida de volta, quarta-feira, em Porto Alegre, o técnico Renato Gaúcho preferiu poupar os titulares no Campeonato Brasileiro. Mandou reservas a Florianópolis para enfrentar o Figueirense e não ficou descontente com o empate em 0 a 0. Pelo contrário.

"Saio satisfeito, sim. É sempre muito difícil jogar aqui (no Orlando Scarpelli), principalmente na situação que o Figueirense se encontra, e com um time muito diferente. É importante essa pegada, dedicação da garotada. Por isso a gente não tem medo nenhum de colocar um time diferente nas partidas", afirmou o treinador, após a partida.

Renato não teve medo de apostar em um time com garotos como Rafael Thyere (23 anos), Kaio (21), Jaílson (21), Iago (21), Everton (20), Guilherme (21), Batista (21) e Lincoln (17).

"Independente da idade, do salário, do campeonato, quem eu chamo para jogar está correspondendo. Se tivéssemos mais experiência no final, poderíamos ter saído com a vitória. A garotada ainda não tem a paciência necessária, é a pressa. Mas eu entendo, faz parte", comentou.

Apesar da prioridade para a Copa do Brasil, o Grêmio é oitavo colocado do Campeonato Brasileiro, com 49 pontos, contra 51 do Atlético-PR, o sexto colocado e último dentro da zona de classificação para a Libertadores. Fluminense (48) e Corinthians (50) também brigam por um lugar no G6, que pode virar G7 caso o Atlético-MG (60) vença a Copa do Brasil e se mantenha entre os seis primeiros do Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.