Renato Gaúcho elogia pegada da 'garotada' em empate do time reserva do Grêmio

Técnico diz não ter 'medo nenhum de colocar um time diferente'

Estadão Conteúdo

30 de outubro de 2016 | 10h20

Apesar da boa vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro em Belo Horizonte, no jogo de ida, a semifinal da Copa do Brasil segue sendo prioridade para o Grêmio. Pensando na partida de volta, quarta-feira, em Porto Alegre, o técnico Renato Gaúcho preferiu poupar os titulares no Campeonato Brasileiro. Mandou reservas a Florianópolis para enfrentar o Figueirense e não ficou descontente com o empate em 0 a 0. Pelo contrário.

"Saio satisfeito, sim. É sempre muito difícil jogar aqui (no Orlando Scarpelli), principalmente na situação que o Figueirense se encontra, e com um time muito diferente. É importante essa pegada, dedicação da garotada. Por isso a gente não tem medo nenhum de colocar um time diferente nas partidas", afirmou o treinador, após a partida.

Renato não teve medo de apostar em um time com garotos como Rafael Thyere (23 anos), Kaio (21), Jaílson (21), Iago (21), Everton (20), Guilherme (21), Batista (21) e Lincoln (17).

"Independente da idade, do salário, do campeonato, quem eu chamo para jogar está correspondendo. Se tivéssemos mais experiência no final, poderíamos ter saído com a vitória. A garotada ainda não tem a paciência necessária, é a pressa. Mas eu entendo, faz parte", comentou.

Apesar da prioridade para a Copa do Brasil, o Grêmio é oitavo colocado do Campeonato Brasileiro, com 49 pontos, contra 51 do Atlético-PR, o sexto colocado e último dentro da zona de classificação para a Libertadores. Fluminense (48) e Corinthians (50) também brigam por um lugar no G6, que pode virar G7 caso o Atlético-MG (60) vença a Copa do Brasil e se mantenha entre os seis primeiros do Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.