Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Renato Gaúcho lamenta empate do Grêmio com gol sofrido no fim: 'Gosto de derrota'

Time gaúcho perdeu a chance de vencer o Flamengo ao levar gol nos acréscimos em casa

Estadão Conteúdo

02 Agosto 2018 | 10h20

O Grêmio derrotava o Flamengo por 1 a 0, na noite de quarta-feira, em Porto Alegre, pela rodada de ida das quartas de final da Copa do Brasil, até os 48 minutos do segundo tempo, quando sofreu o gol de empate marcado pelo atacante Lincoln. O técnico Renato Gaúcho justificou a pressão cedida para os cariocas nos minutos decisivos pelas lesões de Everton e Jael.

+ Flamengo arranca empate do Grêmio no último minuto

+ Romero brilha de novo e Corinthians bate a Chapecoense

+ Na estreia de Cuca e do VAR, Santos perde para o Cruzeiro na Vila

Segundo o treinador gremista, o centroavante não tinha condições nos momentos finais da partida e o adversário soube aproveitar a vantagem numérica para pressionar mais. "O que aconteceu foi que perdemos o Everton, com quem tínhamos uma saída rápida com ele. Marinho não estava em uma noite tão boa, ele gosta de jogar pela direita e entrou um pouco perdido na esquerda. Também perdemos o Jael, que torceu o tornozelo. Ficamos com um a menos, estava com o tornozelo muito inchado. Senão a história seria diferente. Tivemos melhor no primeiro tempo. São duas grandes equipes. Infelizmente, faltando um minuto, é ter o gostinho de derrota. Foram os primeiros 90 minutos. Tem mais 90 no Rio de Janeiro", disse em entrevista coletiva.

Além de ficar com um jogador a menos no final, Renato Gaúcho afirmou que faltou um pouco de malícia para os jogadores. "O que eu falo para eles é usarem a malandragem. Quando o quarto árbitro levanta a placa (para mostrar os acréscimos), é hora de segurar a bola lá na frente para não corrermos riscos. O próprio Jael estava com o tornozelo inchado. A bola ia e voltava. Faltou alguém segurar a bola lá na frente para respirar e acabar o jogo. Infelizmente não aconteceu pelo problema do Jael".

A questão física dos jogadores também foi assunto na entrevista coletiva de Renato Gaúcho. De olho nos mata-matas da Copa do Brasil e da Copa Libertadores, o técnico tem mudado o time e dando descanso para os principais atletas. Fato que deverá acontecer neste sábado novamente contra o Flamengo, em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro.

"Se tivéssemos vencido, diriam que nossa logística estaria certa. Não mando no Grêmio sozinho, não. Converso com a diretoria. Tem que ser desta forma. Jogadores não são robôs. Poupamos o Everton e ele sentiu. Não enfrentamos qualquer equipe, enfrentamos um grande time, líder do Brasileirão. Foi uma grande partida. Foi justo por tudo que aconteceu nestes 90 minutos. Agora é mais 90 minutos no Rio", completou Renato Gaúcho.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.