Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Renato Gaúcho vê 'massacre' sobre Atlético-MG, mas diz que G4 é lucro

Treinador garante que o Grêmio não merecia perder por 1 a 0 e celebra Libertadores

AE, Agência Estado

16 de setembro de 2013 | 10h40

PORTO ALEGRE - O técnico Renato Gaúcho garantiu que a derrota para o Atlético Mineiro por 1 a 0, domingo, em casa, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, não o incomodou, mas admitiu que o Grêmio está praticamente fora da luta pelo título nacional. O time ocupa o terceiro lugar, com 37 pontos, nove a menos do que o líder Cruzeiro, mas, para o treinador, conquistar uma vaga na próxima edição da Libertadores já será um grande feito para a equipe gaúcha.

"Se o Grêmio conseguir uma vaga na Libertadores, presidente, diretoria, torcedor estarão de parabéns e têm que dar parabéns ao grupo. Quando eu cheguei, achavam que nós brigaríamos para não cair, diziam que o grupo era fraco, com jogadores que vieram do interior", disse.

Para Renato, o Grêmio não merecia ter perdido para o Atlético-MG. Na sua avaliação, o time "massacrou" o adversário, mas pecou pelas chances perdidas. "Muitas vezes, não merecíamos, e ganhamos. Hoje, nós massacramos o Atlético e não ganhamos. A bola pune. O Grêmio jogou muito, encheu os olhos", comentou.

A principal oportunidade desperdiçada foi do chileno Vargas, durante o segundo tempo. Renato, no entanto, elogiou o seu atacante. "O Vargas jogou bem. Tem de levar em consideração que estava voltando de uma lesão delicada. Estava sem ritmo, jogou na seleção, com uma viagem longa. Foi na vontade. De repente, não fez tudo o que faz na seleção. Ele teve a bola do jogo, não fez, infelizmente, mas vai nos ajudar", afirmou.

Com um discurso de defesa do elenco gremista, Renato também elogiou o adversário para minimizar o tropeço do Grêmio em casa. "Não é fácil jogar contra um grande adversário, com um grande treinador e um jogador que sempre desequilibra, o Ronaldinho Gaúcho, um dos melhores do mundo", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.