Renato lamenta 'castigo' e mantém confiança no Grêmio

Kleber e Barcos tiveram chances claras de gol, não aproveitaram e o Grêmio acabou derrotado por 1 a 0 pelo Santos na última quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O "castigo" ao time gaúcho, no entanto, não diminuiu a confiança do técnico Renato Gaúcho, que vê o confronto em aberto para a partida de volta, quarta-feira que vem, em Porto Alegre.

AE, Agência Estado

22 de agosto de 2013 | 09h48

"Eu digo que foi um castigo porque infelizmente a bola não quis entrar. Tivemos todas as chances do mundo para ganhar. Sempre falo para meu grupo que a bola pune, e hoje (quarta) fomos punidos porque tivemos chances e não soubemos aproveitar. O Santos foi mais efetivo, soube aproveitar no segundo tempo. Mas é o que eu falei, não tem nada perdido. Como tivemos muitas oportunidades aqui, podemos ter na volta e espero que possamos aproveitar", declarou.

Apesar de apontar os gols perdidos como principal fator que levou o Grêmio à derrota, Renato evitou responsabilizar os atacantes. Na chance mais clara, Barcos cabeceou sozinho, da linha da pequena área, para fora. Mesmo assim o treinador reafirmou a confiança em seus jogadores e avisou: na partida de volta a equipe gaúcha não desperdiçará tantas oportunidades novamente.

"Ninguém erra o gol porque quer. Perdemos gols feitos, mas é acidente de trabalho. Não foi nosso dia para fazer os gols, mas gostei da equipe, que lutou, brigou. Tivemos muitas oportunidades, não entraram, e acabamos tomando o gol. Mas Copa do Brasil é assim mesmo, não tem facilidade, são jogos de 180 minutos. Perdemos nos primeiros 90, mas temos mais 90 em Porto Alegre, em frente à nossa torcida, e vamos aproveitar melhor as chances", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.