Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Renato se desculpa por fala sobre drone e corrige: 'Mundo é dos inteligentes'

Técnico do Grêmio gerou polêmica ao minimizar uso de artifício por funcionário pago pela diretoria do clube

Estadão Conteúdo

23 Novembro 2017 | 16h54

O técnico Renato Gaúcho voltou atrás em sua declaração sobre o possível uso de drone por parte do Grêmio para observar um treino fechado do Lanús antes da primeira final da Libertadores. Depois da polêmica gerada por sua afirmação de que "o mundo é dos espertos", o comandante tricolor se retratou nesta quinta-feira.

+ Renato ataca juiz por não usar vídeo e ironiza: "Até Stewie Wonder viu o pênalti"

"Gostaria de pedir desculpas por ter usado de forma errada a expressão 'o mundo é dos espertos'. Não quis usar de maneira pejorativa. Na verdade, o mundo é dos inteligentes", corrigiu Renato em nota enviada por sua assessoria de imprensa.

Na última segunda-feira, uma matéria da ESPN Brasil denunciou que o Grêmio pagou um funcionário para analisar adversários e que usou, inclusive, um drone para filmar um treino fechado do Lanús. O diretor jurídico clube, Nestor Hein, negou as informações e as chamou de "fofoca", mas, posteriormente, Renato Gaúcho admitiu o uso de espiões.

O treinador, no entanto, tratou com naturalidade o fato e minimizou a espionagem gremista, garantindo que todos os clubes do Brasil, e até a seleção, se utilizam deste artifício. E ao tentar se explicar, Renato utilizou a frase que gerou polêmica.

"Algumas pessoas de vocês estão acabando com o futebol. Falem do jogo, falem dos times. Eu pergunto: como se ganha uma guerra? Como se neutraliza o adversário? Com suas formas. Com drone, helicóptero, avião, cavalo, bicicleta. O mundo é dos espertos", disse na época.

Com ou sem o uso de drone, o Grêmio saiu na frente na decisão da Libertadores diante do Lanús na última quarta-feira, ao vencer por 1 a 0, em Porto Alegre. Na próxima quarta, o time gaúcho volta a encarar o adversário na Argentina e pode se sagrar tricampeão do torneio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.